Irapuan Costa Junior
Irapuan Costa Junior

Prisão de reitor que se matou precisa ser esclarecida

Luiz Carlos Cancellier: o reitor era inocente?

É absolutamente necessário que se esclareça o envolvimento (ou não) do reitor da Universidade de Santa Cata­rina, Luiz Carlos Cancellier de Oliva, no desvio de recursos objeto da operação Ouvidos Moucos, da Polícia Federal.

Luiz Carlos se matou após ser algemado e preso em casa, e passar dois dias na prisão. Se inocente, seu desafeto e acusador, Rodolfo Hickel do Prado, a delegada Érika Mialik Ma­rena, que pediu e supervisionou a prisão, o procurador André Ber­tuol que a avalizou e a juíza Juliana Cassol que a decretou, terão que ser pesadamente responsabilizados. Só bandidos defendem a impunidade. Mas tornar réu um inocente, prendê-lo e humilhá-lo com fundamento apenas na palavra de um delator (em geral, um bandido), é inaceitável no Estado de Direito.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.