A recente notícia de que o Ministério Público Federal irá monitorar a Polícia Militar nas manifestações de rua revela um absurdo. E a conformidade com que foi recebida essa notícia mostra o estado de hegemonia esquerdista que já se conseguiu estender sobre a sociedade brasileira. Num confronto violento de rua, onde se acha, de um lado, uma polícia institucional no cumprimento de sua função legal e, de outro, uma quadrilha de depredadores, previamente arregimentados, mascarados, logo dispostos a transgressões sem serem reconhecidos, o MPF se declara disposto a vigiar a ação policial e não a ação dos vândalos ilegais.

Há algo de profundamente errado nisso. As gangues vão se sentir mais libertas para delinquir, e os policiais estarão inibidos, pois qualquer ação sua poderá ser increpada de excesso. O Ministério Público se coloca ao lado da ilegalidade, da violência e contra a sociedade.