Para a presidente Dilma Rous­seff, Marco Aurélio Garcia e Rui Falcão, é de matar de inveja.

Rafael Correa, o ditadorzinho do Equa­dor, tem sua ditadura praticamente consolidada nesta semana, sempre usando a democracia para chegar lá. Paulatinamente aparelhou o Judiciário, até torná-lo obediente às suas ordens. Perseguiu a oposição até fazê-la, usando sua própria falta de combatividade, inexpressiva.

Rafael Correa dominou totalmente o Legislativo. Perseguiu a imprensa livre, faliu empresas de comunicação e tornou todo o sistema equatoriano de divulgação em uma imprensa oficial.

Elegeu-se, reelegeu-se e conseguiu torcer a constituição para um terceiro mandato. Agora, tal como na Venezuela, está prestes a alterar novamente a constituição, permitindo a reeleição sem limites.