Circulou um vídeo na internet, com pronunciamento de Evo Morales, em que “advertia” os comandantes das Forças Armadas brasileiras de que não tolerará qualquer tentativa de golpe, aí entendido como golpe a deposição da presidente Dilma Rousseff.

Explica-se a bravata: quando tomou militarmente as instalações da Petrobrás na Bolívia, vale dizer, quando assaltou o patrimônio brasileiro, viu de nosso governo apenas dois tipos de reação: cumplicidade e covardia. O estrupício está, pois, encorajado.

Há na imprensa um silêncio geral, quando deveria existir uma gritaria condenando a ingerência. O Itamaraty está calado, até o momento em que escrevo. Natural, uma vez que na verdade obedece ao comunista Marco Aurélio Garcia. Nada se pode esperar do ministro da Defesa, Jaques Wagner, bolivariano convicto. Caso Dilma sofra impeachment, veremos o que faz o índio comunista. Virá até aqui recolocá-la no trono? Que venha.