É o que se comenta nos bastidores. Mas talvez a especulação esbarre em poderosas arestas criadas pelos conflitos políticos

Registra-se, a seguir, duas histórias que se contam, nos bastidores, mas não há evidências de que sejam verdadeiras, ou inteiramente verdadeiras. Porém, como são ventiladas, merecem registro. Porém, que o eleitor se acautele.

1

Comenta-se que está em curso uma operação de aproximação entre o governador Ronaldo Caiado, do União Brasil, e o pré-candidato a governador pelo Patriota, Gustavo Mendanha.

Qual é o jogo? Conta-se que Mendanha poderia ser vice de Ronaldo Caiado ou candidato a senador na sua chapa. Há alguma lógica? A política tem lógicas que a própria lógica desconsidera. Mas como ficaria a imagem do ex-prefeito de Aparecida de Goiânia? Talvez desgastada. O mais provável é que vai disputar mandato de governador.

Gustavo Mendanha, do Patriota, e Major Vitor Hugo, do PL: no jogo para isolar o “lulopetismo” do ex-governador Marconi Perillo | Foto: Divulgação
2

Comenta-se também que, adiante, o deputado federal Major Vitor Hugo pode apoiar Ronaldo Caiado. O que ganharia com isso? Seria o candidato a senador na chapa do governador, com Wilder Morais de primeiro suplente. Aí, se o presidente Jair Bolsonaro for reeleito, o parlamentar, se eleito senador, iria para um ministério e o empresário-suplente assumiria o mandato.

O que há de verdade nisto? Não se sabe. Mas o assunto está rolando nos bastidores.

O que se espera com as articulações? Isolar, ainda mais, o ex-governador Marconi Perillo, que está patrocinando a causa de Lula da Silva, do PT, em Goiás.