Tucanos dizem que João Campos implanta ditadura no PSDB de Aparecida e não aceita renovação

Deputado federal João Campos, do PSDB | Foto: Jornal Opção

Deputado federal João Campos, do PSDB | Foto: Jornal Opção

Renato Silva e Maione Padeiro dizem que o deputado João Campos, ao exercer um controle férreo, está praticamente “dizimando” o PSDB de Aparecida de Goiânia. “O presidente do partido em Aparecida, o pastor Jair Antônio, é cunhado do parlamentar, mas mora no Setor Pedro Ludovico, em Goiânia. Nós defendemos Tatá Teixeira [mora em Aparecida e tem história na cidade] para a presidência da comissão provisória do PSDB, mas João Campos não aceita”, afirma Renato.

A força de João Campos advém do fato de que tem mandato legislativo. “Mas há políticos com mandato que militam — uns mais, outros menos — em Aparecida”, sublinha Renato. “O delegado Waldir Soares, Fábio Sousa e Alexandre Baldy, também deputados federais, e Mané de Oliveira, deputado estadual, têm aliados no município. Portanto, precisam ser ouvidos. Por que tão-somente João Campos, o que obteve menos votos na cidade, tem de ser ouvido e acatado?”, acrescenta.

O PSDB, sob o comando da dupla João Campos-Jair Antônio, não conseguiu nem mesmo alugar uma sede. “O partido está literalmente abandonado, mas João Campos não abandona o osso”, admite um deputado. O presidente do PSDB regional, Paulinho de Jesus, tentou fazer a mediação, com o objetivo de renovar o partido, mas esbarrou na pressão vigorosa de João Campos.

Outro problema de João Campos, segundo um deputado, é que o parlamentar avalia que o partido deve ser controlado não por tucanos atuantes, e sim por evangélicos. “João Campos só tem auxiliares evangélicos. Os que não são foram afastados”, afirma um tucano de Aparecida.

Uma resposta para “Tucanos dizem que João Campos implanta ditadura no PSDB de Aparecida e não aceita renovação”

  1. Avatar Epaminondas disse:

    Apesar de apostar as fichas no PSDB federal como melhor chance para combater a tomada do estado pelo PT, o PSDB estadual só me traz desgosto. Se eu quisesse ser representado por pastores evangélicos, estaria dizimando num templo. Mas eu acredito naquela coisa ainda mais improvável do que uma costela virar mulher ou concepção imaculada: Estado laico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.