O advogado Sérgio Lucas, líder do PP goiano, diz que, para atacar o vice-governador José Eliton, o deputado federal Roberto Balestra passou a defender o deputado federal Sandes Júnior. O argumento básico é que, na campanha de 2014, embora seja presidente do PP, José Eliton, no lugar de apoiar os candidatos do partido para deputado federal, trabalhou na campanha de Giuseppe Vecci. Por isso, Sandes teria ficado como suplente. “Parece tudo bonitinho e arrumadinho, mas não foi assim. José Eliton, como candidato a vice-governador, de uma base política ampla, não poderia, evidentemente, pedir votos tão-somente para os candidatos de seu partido. Acrescente-se que, em determinadas cidades, Vecci tinha uma estrutura ‘x’ e Sandes não estava lá. O vice pediu-me para trabalhar na campanha de Sandes e eu trabalhei”.

Balestra, na opinião de Lucas, persegue Sandes há anos. “Ele não deu legenda para Sandes disputar a Prefeitura de Goiânia contra Darci Accorsi. Mais tarde, não abriu espaço nas comissões provisórias do PP para o correligionário.”