PT exclui Dilma Rousseff de chapa majoritária no Rio Grande do Sul

A ex-presidente também enfrenta resistência no PT de Minas Gerais, que prefere compor com o empresário Josué Gomes, do PMDB

Dilma Rousseff: esquecida, para o Senado, tanto no Rio Grande do Sul quanto em Minas Gerais

O PT do Rio Grande do Sul anuncia a chapa para governador e senador no dia 9 de dezembro. O mais surpreendente é que a ex-presidente Dilma Rousseff ficou de fora. O candidato a governador será o ex-ministro Miguel Rossetto. O senador Paulo Paim disputa a reeleição. A segunda vaga para senador — assim como a vice — será reservada para partidos aliados.

Senador Paulo Paim vai disputar a reeleição no Rio Grande do Sul | Foto: Agência Senado

Dilma Rousseff, se quiser, terá de disputar mandato de deputada federal. Consultada sobre o suposto veto da cúpula partidária, a ex-presidente teria dito a aliados: “Não estou avaliando isso no momento”. Os líderes alegam que consultaram a presidente, segundo reportagem do “Zero Hora”.

O presidente do PT do Rio Grande do Sul, Pepe Vargas, contrapõe que, se quiser, Dilma Rousseff pode reabrir a chapa e ser candidata. A questão chave é: Paulo Paim, que já é senador, abriria espaço para a petista? É praticamente impossível.

Reginaldo Lopes, deputado federal, é cotado para disputar mandato de senador em Minas Gerais

Minas Gerais

Resta a Dilma Rousseff disputar mandato de senadora em Minas Gerais. A presidente do PT do Estado, Cida de Jesus, convidou-a para ser candidata. Porém, como não se pronunciou, outros políticos ocuparam o espaço. Reginaldo Lopes deve ser candidato a senador. Mas há quem defenda, informa o “Zero Hora”, que as duas vagas para senador sejam reservadas para a aliança política. O PT ficaria apenas com o candidato a governador — Fernando Pimentel, que irá a reeleição.

Josué Gomes, proprietário da Coteminas, pode ser candidato a senador em Minas Gerais ou vice de Lula da Silva

Segundo o “Zero Hora”, com informações do “Estadão”, “dirigentes do PT de Minas são refratários à participação de Dilma nas eleições locais do ano que vem. Eles temem que a presença da presidente cassada contamine a disputa estadual com temas nacionais e dificulte a reeleição de Pimentel”.

Há outro “Drummond” mineiro no caminho de Dilma Rousseff: o empresário José Gomes, executivo da Coteminas e filho de José Alencar — que foi vice-presidente de Lula da Silva —, filiado ao PMDB, sinaliza que pretende disputar mandato de senador. Porém, o ex-presidente Lula da Silva teria convidado José Gomes para ser o seu vice.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.