De um veterano político: “O PSDB divorciou-se do PSB, não quer saber da amante PSD e casou-se com o PTB”. Bem trovado? Talvez.

Realisticamente, apesar do amor pelo PTB, o PSDB não vai abandonar nem o PSB nem o PSD. Por quê? Porque política se faz com todos, não só com alguns. E mais: na verdade, nem PSD nem PSB querem ser deixados de lado. Estão só amuados, cobrando um pouco mais de carinho. Um beijinho ali, um abracinho aqui.