O presidente estadual passou o comando partidário em Porangatu para Ludmila Melo, que se apresenta como pré-candidata a deputada federal

Francisco Patriota, Newton Borges e Ivan Viana: ex-líderes do Patriota em Porangatu | Foto: Divulgação

Comenta-se no meio político que o presidente do Patriota, Jorcelino Braga, não tem o hábito de “roer a corda”, ou seja, de fazer um “trato” político e desfazê-lo sem um motivo relevante. Pois um grupo político de Porangatu, a “capital” do Norte, sugere que, depois de passar o comando do Patriota para Francisco Patriota, Newton Borges e Ivan Vieira, retirou-o sem avisá-los.

Renato Bernardes, Jorcelino Braga e Ludmila Melo e José Aureliano: conquista de uma candidata a deputada federal pelo Norte de Goiás | Foto: Divulgação do Patriota

Francisco Patriota era o presidente, Newton Borges era o secretário-geral e Ivan Vieira era o tesoureiro. A presidência do Patriota passou para Ludmila Melo.

O grupo afastado avalia que faltou empenho de Tatá Teixeira, de Gustavo Mendanha e de Jorcelino Braga no sentido de mantê-lo na direção do partido.

Uma fonte diz que Ludmila Melo conquistou a direção do partido porque garantiu que será candidata a deputada federal. “O outro grupo não tinha candidato nem a deputado estadual. O partido quer eleger deputados federais e estaduais”, afirma.

Leia a réplica do partido Patriota

Bernardes diz que políticos de Porangatu “roeram” a corda com o Patriota