Políticos, como Júlio da Retífica, tentam “fugir” da chapa de deputado estadual do PSDB

O tucano obteve 27.664 votos, em 2014, e ficou como suplente. Sérgio Bravo conquistou 8.607 votos e foi eleito

Júlio da Retífica | Foto: Y. Maeda

Poucos políticos querem disputar mandato de deputado estadual pelo PSDB. Porque, para se eleger, será preciso mais de 30 mil votos. Políticos de regiões que não têm muitos eleitores e que são mais “invadidas” do que outros locais por candidatos de praticamente todo o Estado não têm mais condições de permanecer filiados ao partido.

É o caso do deputado estadual Júlio da Retífica. Em 2014, o tucano obteve 27.664 votos e ficou como suplente. Outros políticos, como Ernesto Roller (24.975 votos), do PMDB, Eliane Pinheiro (19.778 votos), do PMN, e Sérgio Bravo (8.607 votos), foram eleitos com uma votação bem menor. Aliados do tucano estão tentando convencê-lo a mudar de partido.

Se mudar, sugere o prefeito de Porangatu, Pedro Fernando (PSDB), pode até ampliar sua votação. “Sabendo que tem chance de ser eleito, os apoios se multiplicam”, aposta

Deixe um comentário

wpDiscuz