PMDB vai tirar o máximo de proveito da gestão de Paulo Garcia e, na hora agá, vai deixá-lo na chapada

O PMDB adotou a tática da dubiedade na relação político-administrativa com o PT do prefeito de Goiânia, Paulo Garcia. Um grupo vai se manter como bombeiro, diplomático e outro grupo, comandado pelo deputado estadual eleito José Nelto, vai ficar na trincheira — como franco-atirador.

É o famoso jogo duplo combinado. Na hora agá, se a gestão do petista-chefe continuar nocauteada, o PMDB certamente não vai ser o responsável por carregar a maca ou, na pior das hipóteses, a alça do caixão político do petismo.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.