Na última semana, o ex-deputado Humberto Teófilo teve um encontro com o vice-presidente do Novo em Goiás, Alano Queiroz, e um dos nomes mais proeminentes do partido no Estado, o empresário Leonardo Rizzo. Na pauta: o convite para a filiação de Teófilo à legenda.

Após o encontro, o delegado de polícia confirmou à imprensa também ter recebido, além do convite de filiação, a proposta para lançar sua pré-candidatura pelo partido à Prefeitura de Goiânia. A questão, no entanto, parece ter pegado o próprio presidente do partido em Goiás, Adriano Sarmento, de surpresa.

Isso porque, conforme apurado pela coluna, o convite para a filiação realmente veio, mas a questão da pré-candidatura teria sido pautada pelo próprio Teófilo, que aspira concorrer à cadeira do Paço Municipal.

Os representantes do Novo no encontro teriam aceitado a sugestão de bom grado – de Teófilo pleitear uma pré-candidatura -, com Rizzo, inclusive, deliberando retirar seu nome da jogada – ele é também é pré-candidato pela legenda – para dar espaço a ele.

No entanto, caso o delegado tope realmente deixar o Patriota para se juntar ao Novo, ele deve esbarrar em outro nome: Levy Rafael, que segundo apurado pela coluna, é o favorito do Novo para representar o partido numa eventual corrida à Prefeitura da capital goiana (apesar de nenhum martelo ter sido batido até o momento).

O próprio ex-deputado já afirmou não ter decidido, ainda, se vai se filiar ou não, e que também não pretende comprar nenhuma briga para ser o nome do Novo no pleito de 2024. É justamente por isso que o partido teria outros planos para ele: caso realmente se junte às fileiras do Novo, Teófilo deve ser incentivado a tentar seu retorno à Assembleia Legislativa.

Vale pagar para ver se o delegado abrirá mão de seu desejo de tentar a Prefeitura para preparar seu nome para o Legislativo.