O ex-secretário Jorcelino Braga admite que pode apoiar Vanderlan Cardoso para prefeito de Goiânia

Vanderlan Cardoso e Jorcelino Braga: os dois políticos já estão dialogando e podem articular uma aliança político-eleitoral para 2016 | Foto: reprodução

Vanderlan Cardoso e Jorcelino Braga: os dois políticos já estão dialogando e podem articular uma aliança político-eleitoral para 2016 | Foto: reprodução

O presidente do PSB de Goiás, empresário Vanderlan Cardoso, tomou uma decisão: só disputa a Prefeitura de Goiânia se conseguir articular um forte bloco de apoio. Noutras palavras, não quer mais ser candidato de si próprio, e sim de um grupo político. No momento, atraiu para sua aliança a senadora Lúcia Vânia, que deve se filiar brevemente ao PSB, e o deputado federal Marcos Abrão, do PPS. São políticos consistentes, mas a aliança ainda não é suficiente. Por isso, o empresário aproximou-se do governador Marconi Perillo, do PSDB. Mesmo tendo aparado as arestas com o tucano-chefe, sua situação é a seguinte: está quase na base do governador Marconi Perillo — seus dois principais aliados, Lúcia Vânia e Marcos Abrão, mantêm forte estrutura no governo do Estado —, mas a base governista não está com ele, e tampouco pretende apoiá-lo, exceto se, no segundo turno, disputar a eleição com o “arqui-inimigo” do PSDB, Iris Rezende. Aí a aliança sai a fórceps.

Por perceber que precisa ampliar sua aliança política, Vanderlan não vai dispensar apoio. Pelo contrário, vai buscar velhos e tentar conquistar novos apoios. Na sexta-feira, 29, o Jornal Opção conversou com o presidente do PRP, Jorcelino Braga, e perguntou-lhe sobre a possibilidade de uma aliança com Vanderlan Cardoso. “Vocês estão rompidos?” — quis saber o repórter. “Não estamos rompidos, não. A nossa relação era e é muito boa. E digo mais: não acredito que ele vai para a base do governador Marconi Perillo. Percebo que, até por conhecer a história política de Goiânia, está numa linha mais independente, alternativa aos grupos de Iris Rezende, do PMDB, e de Mar­coni, do PSDB.”

Braga assegura que Iris Re­zende e Vanderlan estão praticamente empatados nas pesquisas de intenção de voto. “Iris está um pouco na frente, mas Vanderlan está bem posicionado. O recall dele é muito bom em Goiânia.”

Mas o PRP de Braga pode compor com o PSB de Van­derlan? “Se Jorge Kajuru não for candidato pelo PRP — se ele quiser, será o nosso candidato —, será mais fácil compor com Vanderlan. Tenho conversado com frequência com Van­derlan, não temos nenhuma aresta para aparar.”
Jorge Kajuru está doente, internado em Belo Horizonte — os grampos da cirurgia bariátrica soltaram —, mas, segundo Braga, tem ânimo para disputar a prefeitura. “O partido está à sua disposição. Ele me disse que pretende continuar disputando mandato eletivo e, em 2016, o único que lhe interessa é o de prefeito de Goiânia. O PRP já lhe deu a palavra de que, se postular mesmo, será bancado para a disputa na capital”, anota Braga.

Na opinião do ex-secretário da Fazenda, o peemedebista-chefe Iris Rezende vai disputar a eleição para prefeito de Goiânia. “Como está bem posicionado nas pesquisas, ele dificilmente não disputará. Talvez fosse o caso de o PMDB abrir espaço à renovação, porém, como o partido parece não ter um nome consolidado na capital, Iris deve ser candidato.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.