Naçoitan Leite, do PSDB, é favorito na disputa pela Prefeitura de Iporá. Porém, se quer mesmo ser eleito, não pode brincar em serviço, pois tende a enfrentar uma pedreira, o professor Paulo Alves de Oliveira, do PT, que simboliza a renovação, e Max Mahoen, do PMDB, que parece mas não é galinha morta, pois já foi prefeito duas vezes.

O maior perigo são as histórias das “favas contadas”. Há candidatos que dormem líderes nas pesquisas, considerando-se praticamente eleitos, e acordam derrotados e reclamando da vida. Em Iporá, eleitores mais esclarecidos dizem, em tom de pilhéria mas focando a realidade do município: “Naçoitan é ficha limpa, mas a cidade está suja”.

O prefeito, eleito porque Naçoitan não pôde ser candidato em 2012, é apontado como “decepcionante”. Ele não tem tino administrativo e, com dois anos de mandato, parece inteiramente perdido, dizem seus adversários e, pior, até alguns de seus aliados. “O prefeito é teleguiado”, diz um oposicionista.