Morre a professora da UFG Dulce Barros de Almeida

Ela era uma das maiores especialistas brasileiras em educação inclusiva, com doutorado pela Unicamp

Reprodução/Facebook

Dulce Barros de Almeida, professora aposentada da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás (UFG), morreu na sexta-feira, 3, em Goiânia, aos 64 anos.

A professora, que era pesquisadora sobre inclusão escolar, organizou o Núcleo de Acessibilidade da UFG. Dulce Barros de Almeida foi velada e enterrada no Cemitério Jardim das Palmeiras.

Formada em pedagogia pela Universidade Católica de Goiás (atual PUC), Dulce Barros de Almeida era mestre em educação pela UFG e doutora pela Unicamp.

Sua tese de doutorado “Do Especial ao Inclusivo? — Um Estudo da Proposta de Inclusão Escolar da Rede Estadual de Educação de Goiás” é apontada como referencial para os estudiosos da educação inclusiva.

4 respostas para “Morre a professora da UFG Dulce Barros de Almeida”

  1. Graziele disse:

    Otima professora vai deixar saudades

  2. Joicy Fonseca disse:

    Acho que todos tivemos um professor ou uma professora marcante, né? Eu tive! Dulce foi minha professora durante dois anos na UFG. No estágio e no último ano, como orientadora da monografia. Me lembro dos últimos dias de conclusão da minha monografia. Estive em seu apartamento para as últimas orientações. Chorei horrores, pois, travei na finalização do meu trabalho… era quase meia noite, depois de horas, meu marido já havia ido me buscar e estava na portaria, tivemos uma conversa maravilhosa e que me marcou demais! Ela sempre foi super firme em seu trabalho… e ao mesmo tempo muito humana. Não havia nenhum muro que impedisse a relação professora / aluna(o). Representará sempre uma parte importante para mim… com certeza contribuiu imensamente para o que sou hoje como professora! Nunca esquecerei. Fiquei imensamente triste com essa notícia!

  3. Ítala Maria disse:

    Faço minhas as palavras da Joyce! Professora Dulce está no coração de todas alunas que puderam aproveitar seus ensinamentos, sua alegria e convivência. Levar a turma para sua casa para decidir e finalizar nosso estágio foi algo que nenhum professor(a) arriscou fazer. Quase vinte anos atrás no final do curso me indicou p trabalhar no IEG como professora de estágio…Valorizou todas nós como potenciais professoras e não como simples aluna, por anos queria saber como estávamos nos saindo em nossas caminhadas, isso sempre a diferenciou de todos nossos mestres! Ela partiu, deixa saudades, mas levou consigo o dever cumprido nesta vida!

  4. Lyza Milhomem disse:

    Professora Dulce de Almeida,uma guerreira e sua luta incansável pela inclusão é referência para todos e todas do Movimento das Pessoas com Deficiência. Dulce de Almeida, Presente!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.