Listão de possíveis secretários do governador eleito Ronaldo Caiado

O senador do partido Democratas prefere não falar sobre nomes, mas sugere aos aliados que a equipe será fortemente técnica

Consta que o governador eleito de Goiás Ronaldo Caiado (DEM) fica irritado quando lê nos jornais que fulano ou sicrano vai ocupar determinada secretaria em seu governo. Mas alguns de seus íntimos, desde que o nome não seja mencionado, admite que, a dois meses e dez dias de tomar posse, o líder do Democratas começa a buscar nomes qualificados para compor seu secretariado. Sim, a prioridade será nomes técnicos, que não temem desgastes. Sim, políticos também farão parte da gestão. Sim, os que participaram da campanha ocuparão postos no primeiro e no segundo escalão. Mas quem conhece bem o senador frisa: “O indicado terá de funcionar bem no cargo, porque senão será trocado sem contemplação. Eficiência é um ponto crucial para Ronaldo”.

Determinados cargos, como Saúde, Educação e Segurança Pública, serão de indicação exclusiva de Ronaldo Caiado — o que não quer dizer, claro, que não poderão ser ocupados por políticos ou, então, ocupados por especialistas indicados por políticos. Veja-se um exemplo. Zacharias Calil, recém-eleito deputado federal, poderia ocupar a Secretaria da Saúde. A indicação seria porque foi eleito? Não. Porque é um excelente médico, conhece bem o setor de saúde pública e é um indivíduo de uma decência inquestionável. Além, é claro, de ser ligado a Ronaldo Caiado. Mas o médico prefere ficar como parlamentar em Brasília.

Um dos entrevistados sugeriu que José Vitti, presidente da Assembleia Legislativa, vai ocupar um cargo no governo de Ronaldo Caiado. “Talvez a Indústria e Comércio ou a Agricultura”, disse, enigmático. O Jornal Opção checou com os outros entrevistados, que afiançaram que o nome de Vitti nunca foi mencionado por Ronaldo Caiado.

A lista a seguir foi composta ouvindo aliados de Ronaldo Caiado — o que não quer dizer que é precisa. Porque, dos dez ouvidos, nenhum admite, com precisão, que há nomes definidos.

Agricultura

Divulgação

Cumprindo uma promessa ao setor, Ronaldo Caiado deve recriar a pasta da Agricultura. José Mário Schreiner informou ao governador eleito que pretende ficar em Brasília, como deputado federal. Se recuar, será nomeado para o cargo. De qualquer modo, terá peso decisivo na indicação do secretário. Ele e o pessoal do agronegócio do Sudoeste de Goiás, notadamente de Rio Verde.

Casa Civil

Anna Vitória Caiado | Foto:/ Reprodução

Anna Vitória Gomes é o nome mais cotado. A lei permite que duas pessoas da família do governador ocupem cargos. A advogada é filha de Ronaldo Caiado. Na prefeitura, onde foi procuradora, é apontada como “criteriosa, competente e decente”. Lincoln Tejota também tem sido citado. Mas pode ficar apenas como governador e indicar um aliado para o governo. Ele fará um secretário, é certo.

Comunicação

Divulgação

É uma das pastas mais disputadas. Se não for para a Secretaria da Fazenda, Lívio Luciano é o nome mais cotado. Paulo Beringhs, Cileide Alves e Vassil Oliveira (cotado para a assessoria de Imprensa do governador — assim como Fabiana Pulcineli, que parece não ter o perfil) também são mencionados. “Paulo Beringhs está em campanha aberta e Cileide Alves ‘costura’ pelas beiradas”, afirma um caiadista.

Cultura

Reprodução

Dois nomes foram ventilados: o da professora Glacy Antunes, da Universidade Federal de Goiás, e o de Marcos Caiado (primo de Ronaldo Caiado). Mas quem conhece Marcos Caiado, poeta e criador cultural, sugere que não aceitará cargo público. Mas está deixando o Rio de Janeiro e voltando para Goiás.

Educação — O nome não está definido. Mas um grupo da Universidade Estadual de Goiás apoiou Ronaldo Caiado para governador. Há quem mencione o nome do professor Antônio Carlos Severo Menezes, mas o mestre nunca falou publicamente a respeito. O deputado federal eleito Alcides Rodrigues (PRP), se consultado, deve indicar a professora Milca Severino. Curiosamente, até Adib Elias tem sido citado para a pasta.

Fazenda

Foto: Reprodução

Lívio Luciano é o nome mais citado. Porque, além do jogo de cintura por ser político — e de ser próximo do prefeito Iris Rezende —, é auditor fiscal. A categoria o respeita e, se for indicado, trabalharia antenada sob seu comando. Mas um emedebista ouvido pondera: “Lívio é mesmo excelente, mas representa um setor corporativo. Se for preciso tomar medidas duras, pode titubear. Ademais, é político e pode recear o desgaste de um governo que não terá medo de fazer o que é preciso para colocar o Estado em ordem. No cargo, terá de representar o governo e não o Fisco, por exemplo”. Nenhum dos entrevistados duvida da competência técnica e da seriedade de Lívio Luciano. Se o nome vier de fora é cotado Mauro Ricardo Machado Costa, ex-secretário da Fazenda do prefeito de Salvador, ACM Neto. Pessoas ligadas a Caiado dizem que nunca o ouviram mencionar este nome. Mas ao menos um caiadista o mencionou.

Governo

Arquivo

Samuel Belchior. Todos os entrevistados dizem que é o “número um” de Ronaldo Caiado. Pode ocupar outra secretaria. É uma das pontes do governador eleito com o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, e com emedebistas do interior. Há um problema: precisa convencer a família, sobretudo sua mulher, para dizer “sim” ao novo gestor.

Indústria e Comércio

Divulgação

O nome mais citado é o de Wilder Morais, mas o senador cobiça um cargo de ministro num possível governo de Jair Bolsonaro. Fala-se também em Bill O’Dwyer, de Anápolis. Líderes deste município têm a intenção de indicar um nome. Na semana passada, chegou-se a falar num ex-presidente da Associação Comercial de Industrial de Anápolis, que teria forte ligação com o DEM. O nome do empresário Domingos Sávio — disputou como segundo suplente do senador Wilder Morais a eleição do último dia 7 — começa a ser ventilado.

Planejamento

Divulgação

É quase certo que Fábio Cammarota, da Fundação Dom Cabral, assumirá a secretaria. Ele é especialista na área e contribuiu na elaboração do plano de governo de Ronaldo Caiado. É conhecido em Brasília como “competente” e “experimentado”.

Saúde

Zacharias Calil | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Se Zacharias Calil não quiser mesmo assumir o cargo, o nome mais cotado passa a ser o de Adib Elias (também cotado para a Secretaria de Governo, para operar a base parlamentar na Assembleia). Silvio Fernandes, vice-presidente do DEM — há quem acredite que Ronaldo Caiado pretende bancá-lo para prefeito de Goiânia em 2020 —, é apontado como um nome forte. Assim como o vereador Paulo Daher, que também é médico. O médico Salomão Rodrigues, que não será secretário, terá peso na indicação. O deputado Doutor Antônio tem sido lembrado.

Secretaria especial

Divulgação

Eduardo Machado. O presidente do PHS nacional mantém forte ligação com o governador eleito Ronaldo Caiado. Foi o primeiro presidente de partido a apoiá-lo para governador.

Secretaria especial — Marcos Cabral, prefeito de Santa Terezinha de Goiás. Ele é uma das pessoas mais ligadas a Ronaldo  Caiado e é tido como pule de dez na equipe de governo. Se indicado, será para um cargo bem próximo do governador. Cássio Gusmão, prefeito de Uruana, também é cotado para algum cargo.

Segurança Pública

Foto: Arquivo

Delegado Waldir Soares, se quiser, será o próximo secretário. Mas ele pode ser ministro de um possível governo de Jair Bolsonaro. Se virar ministro, tende a indicar o secretário. Os nomes de João Campos — lembrado pelos evangélicos (frise-se que apoiou Daniel Vilela para governador) — e Major Araújo têm sido citados.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.