Lista dos 16 prefeitos que podem ter grande futuro na política de Goiás

Em 14 anos, com a maioria dos atuais líderes tendo se afastado da política, eles têm chances de disputar mandato de deputado, senador e governador

A maioria dos políticos conquista uma eleição ou uma reeleição para prefeito e, depois, desaparece. Por dois motivos. Primeiro, porque, ao assumirem a prefeitura, no lugar de se preocuparem com a adoção de uma gestão eficiente, começam, desde os primeiros dias, a locupletarem-se. O assédio é imenso e a maior parte não resiste. Muitos entram sem-terra nas prefeituras e saem com-terra — fazendeiros riquíssimos. Segundo, porque faltam-lhe visão política de longo prazo. Não têm ideia de que, se bem-sucedidos, podem “crescer” na política regional. Com o apoio de políticos de oito partidos, o Jornal Opção elaborou uma lista de prefeitos recém-eleitos e reeleitos que, se não errarem, têm “futuro” na política do Estado. Eles podem se tornar deputados estaduais e federais, senadores e, até, governadores. Daqui a 14 anos, em 2030, poucos dos atuais políticos de proa estarão no proscênio. O espaço estará aberto, portanto, para os que começarem a se cacifar agora. (A lista menciona apenas prefeitos. Há outros nomes, como José Eliton e Daniel Vilela, já cotados para 2018.)

 

1 — Abelardo Vaz/PP — Inhumas. Às vezes, parece deprê com a política. Mas é articulador e líder nato.

Arquivo pessoal

Arquivo pessoal

 

2 — Cleiton Mar­tins/PSDB — São Do­mingos. Nome em ascensão.

Reprodução

Reprodução

 

3 — Daniel do Sindi­cato/PSB — Cristalina. Se organizar o caos deixado por Luiz Carlos Attié, pode sair consagrado.

Reprodução

Reprodução

 

4 — Ernesto Rol­ler/PMDB — Formosa. É o político do partido mais consistente no Entorno de Brasília.

Alego

Alego

 

5 — Gustavo Mendanha/PMDB — Aparecida de Goiânia. É uma das revelações políticas de Goiás.

Aquivo/Jornal Opção

Aquivo/Jornal Opção

 

6 — Hildo do Can­dango/PSDB — Águas Lindas. É um dos nomes fortes do Entorno de Brasília.

Alego

Alego

 

7 — Issy Quinan/PP — Vianópolis. Na eleição deste ano, ninguém quis enfrentá-lo.

Reprodução

Reprodução

 

8 — Itamar Leão/PSDB — Sanclerlândia. Na primeira gestão, foi criativo. Se a cidade ajudar, vai longe.

Reprodução

Reprodução

 

9 — José Antônio/PTB — Itumbiara. É, em suma, o herdeiro político de José Gomes da Rocha.

Arquivo

Arquivo

 

10 — Nárcia Kelly/PTB — Bela Vista de Goiás. Com 29 anos, é uma política articulada e ponderada.

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

 

11 — Paulinho Rezen­de/DEM — Hidrolândia. Representa uma cidade pequena, mas o ex-jogador de futebol é ousado e quer presidir a AGM.

Reprodução

Reprodução

 

12 — Renato de Cas­tro/PMDB — Goianésia. Derrotar a família de Otávio Lage parecia tarefa impossível. Ele derrotou.

Alego

Alego

 

13 — Roberto do Órion/PTB — Anápolis. Desbancou o PT na segunda cidade politicamente mais importante de Goiás.

Foto: Fernando Leite

Foto: Fernando Leite

 

14 — Sônia Cha­ves/PSDB — Novo Gama. Foi prefeita, deputada estadual e volta a ser prefeita. É de uma região carente de líderes consistentes.

Reprodução/Facebook

Reprodução/Facebook

 

15 — Valmir Pe­dro/PSDB — Uruaçu. É um político articulado e com grande capacidade de trabalho.

Arquivo/Jornal Opção

Arquivo/Jornal Opção

 

16 — Vinicius Luz/PSDB — Jataí. É um dos nomes mais promissores da política goiana.

Arquivo

Arquivo

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.