Iristas avaliam que o novo, quando cai, absorve mais desgaste

Iristas pré-históricos, históricos e cristãos-novos estavam comemorando o aparecimento dos nomes de Maguito e Daniel Vilela na lista do ministro Edson Fachin, do STF, como tendo recebido dinheiro da Odebrecht, quando Iris Rezende também foi citado como tendo recebido grana da empreiteira.

Tese dos iristas: político novo, quando cai, absorve mais desgaste e a recuperação é mais difícil. Eles afirmam que não dá para acreditar num político que se dizia limpo e, de repente, aparece como tendo recebido dinheiro da Odebrecht.