Henrique Coe, empresário pioneiro de Goiânia, morre aos 100 anos

A Casa Iracema, do empresário e líder classista, tinha a inscrição número 001 na Junta Comercial

Morreu na terça-feira, 7, de causas naturais, aos 100 anos, o empresário Henrique Coe, um dos pioneiros de Goiânia. O velório e sepultamento serão realizados na mesma terça-feira, no Jardim das Palmeiras, na capital.

Fluminense de Magé, onde nasceu em 1918, Henrique Coe veio para Goiânia no início da década de 40 e fundou a Casa Iracema, empresa que chegou a ter a inscrição número 001 na Junta Comercial, antes do recadastramento e da nova numeração. Especializada em materiais hidráulicos, a loja foi fundamental na construção de Goiânia e, posteriormente, de Brasília, onde também possui uma unidade até hoje.

Além de empresário, Henrique Coe foi um dos fundadores da Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Católica de Goiás onde atuou como professor. Teve uma intensa atuação em entidades classistas, presidindo, por vários mandatos, a Associação Comercial e Industrial do Estado de Goiás (Acieg), a Federação do Comércio do Estado de Goiás (Fecomércio) e como fundador e primeiro presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Comércio Atacadista de Material de Construção (Sindimaco). O empresário também chegou a ser diretor comercial da Celg e presidente dos Conselhos Regionais do Sesc e do Senac, entre outros cargos que exerceu em Goiás.

Em 2008, aos 90 anos de idade e ainda à frente da Casa Iracema, chegou a ser eleito Homem Dinâmico do Ano pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Goiânia (CDL). Henrique Coe deixa três filhos, 14 netos (um deles o jornalista Leonardo Razuk) e 12 bisnetos.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.