Frederico Jayme lamentou arquivamento do pedido | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção
 Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O irismo continua plantando notas em “O Popular” sugerindo que Frederico Jayme será expulso do PMDB. “O que os iristas não querem perceber é que, se Iris Rezende ‘acabou’, não há mais motivo para o irismo subsistir”, frisa o ex-presidente da Assem­bleia Legislativa.

“Os iristas não sabem que, em 1989, no lugar de apoiar Ulysses Guimarães, do PMDB, para presidente da República — mesmo que sabendo que era um baluarte da luta contra a ditadura, quando alguns estavam ‘escondidos’ em casa —, Iris declarou apoio a Fernando Collor, do PRN. Será que os iristas também não sabem que Iris apoiava o 45, quer dizer, o PSDB do ex-presidente FHC, do qual foi ministro?”

“Quer dizer que Iris pode apoiar o PSDB, mas os outros, não? Eu não apoiei Iris para governador porque o considero como o supremo porta-voz do arcaico na política de Goiás e, sobretudo, porque não ter coragem de se apresentar publicamente e explicar como acumulou sua imensa fortuna. Não apoiá-lo, portanto, foi um ato de consciência.”