Expulso do PT, o vereador Tayone di Martino é disputado por cinco partidos

Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

Os vereadores Tayrone di Martino, ligado à Igreja Católica, e Felisberto Tavares foram expulsos do PT na sexta-feira, 30. A cúpula do partido decidiu que, por não terem apoiado o aumento do IPTU, os dois políticos traíram, mais do que o prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, o Partido dos Trabalhadores. Tayrone está sendo disputado por PTB, PSD, PDT, PSDB, PMDB e Rede Sustentabilidade. “Recentemente, o deputado federal Jovair Arantes me ligou e disse que o PTB está de portas abertas.”

Felisberto não compareceu à reunião para fazer sua defesa. Tayrone compareceu, fez sua defesa, com os olhos lacrimejando, e disse ter descoberto que o PT obedeceu as ordens de Paulo Garcia, que havia “jurado” expulsá-lo. “Descobri, a duras penas, que não se pode votar a favor da sociedade e contra uma decisão do PT que prejudica a coletividade”, afirma Tayrone. O vereador conta que percebeu certo constrangimento em alguns petistas. “Por que a cúpula petista não apura se procede a informação de que Paulo Garcia apoiou e votou em Iris Rezende para governador, quando o partido tinha seu próprio candidato, Antônio Gomide? Porque os que votaram pela minha cassação dependem, direta ou indiretamente, de cargos na Prefeitura de Goiânia. Se Paulo Garcia não fosse prefeito, eu não seria cassado. Ele não teria nenhuma força política, porque, fora do poder, nunca teve muita influência no partido, sempre foi do segundo escalão.”

“Tenho 31 anos e estava filiado ao PT desde os 14 anos. É uma vida. Nunca me imaginei fora do partido. O PT perdeu a coerência e se perdeu, local e nacionalmente”, sublinha Tayrone. “Em Goiânia, o PT começou a atual legislatura com quatro vereadores e hoje só tem um. Quer dizer que todos, eu, Felisberto Tavares e Djalma Araújo, estão errados e o prefeito Paulo Garcia tem razão?”

A partir de segunda-feira, 2, Tayrone vai reunir seu grupo para discutir o futuro político. “Quero me filiar num partido com o qual eu tenha identidade política e filosófica e no qual eu possa, de fato, defender os interesses da sociedade.”

5
Deixe um comentário

5 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors
Adnaldo

Tayrone era vice de Antonio Gomide e o abandonou na reta final. Ele queria o que? E esse problema do IPTU, pode virar um grande problema para os vereadores, de todos os partidos. Porque? Servidores querem aumento, fornecedores querem aumento, alugueis, investimento, etc.. O governo de goias também, quer uma parte dos impostos da prefeitura. Vai tirar dinheiro da onde? A culpa é só do prefeito? E digo mais, se ta sobrando dinheiro, os vereadores tem obrigação de falar onde está.

José do Carmo A SIQUEIRA

TAYRONE comete grosseria contra todos e todas pessoas filiadas ao PT ao atribuir a sua expulsão – que ele mesmo cavou insistentemente – ao Prefeito Paulo Garcia. Parece que os alegados anos de sua filiação ao PT não foram suficientes para ele entender e respeitar o Partido.

Di Almeida

Um traidor do próprio partido que será esquecido. Ele mesmo enterrou a carreira.

Humberto de Jesus Teixeira

É duro ser povo e ter lutar sozinho contra ações ditatoriais de alguns que estão no poder. PT e PMDB parece que abandonaram Goiânia e se aliaram contra o povo e só defendem seus próprios interesses. Parabéns aos vereadores que defenderam a sociedade e demonstraram consciência do que é ser um servidor público.

Dorivan Maria

Era tudo que ele queria, para se fazer de vítima. Acusa o prefeito Paulo Garcia de ter votado no candidato do PMDB, mas qual o respeito que ele tem pelo partido quando abandona a candidatura a vice na véspera da eleição? Tayrone jamais!