Supostamente influenciados por Luiz Fernando Rocha Lima, ex-mandachuva da parte editorial do Grupo Jaime Câmara, alguns diretores da empresa não regateiam críticas ao executivo Maurício Duarte, que foi afastado por Júnior Câmara.

Maurício Duarte, alegando contenção de despesa, desmontou a redação de “O Popular”, que, bem ou mal, tinha certa qualidade. O resultado é que o jornal perdeu massa crítica e passou a ser criticado, de maneira intensa, pela sociedade, notadamente nas redes sociais.