Bráulio Morais diz que Caiado vai cair e José Eliton vai ser eleito governador

O analista político afirma que o pré-candidato do DEM vai enfrentar a resistência dos outros candidatos e da sociedade civil

Bráulio Morais é um fino analista do quadro político. “As pesquisas quantitativas são indicativos, mas circunscrevem-se à circunstância, portanto tem suas limitações. As qualitativas sugerem que o quadro eleitoral deste ano está aberto. Os eleitores não estão interessados, no momento, no debate eleitoral e estão desmotivados com quase tudo, não apenas com a política. O que vai valer, daqui para frente, são as apresentações de propostas convincentes, que garantam a melhoria da vida dos indivíduos, e a apresentação dos candidatos, que, fora Ronaldo Caiado, do DEM, ainda são pouco conhecidos.” Com o quadro se tornando mais “claro” e com as “candidaturas efetivamente postas”, Bráulio aposta que o governador José Eliton, pré-candidato do PSDB, “vai crescer e a ganhar a eleições”. “Há quem o critique por que está mais preocupado com gestão com que com política. É uma análise equivocada. Porque, na verdade, ele está fazendo política por intermédio da gestão e atendendo exatamente àquilo que os eleitores estão pedindo aos políticos: governem mais e façam menos política.”

“José Eliton é um político realista e inteligente”, afirma Bráulio Morais. “Os apressados não percebem que ele entende os eleitores, por isso está mais atento à gestão. E há o aspecto prático: o país permanece em crise e qualquer descuido pode prejudicar Goiás, onde, afirmam os economistas, a crise é menor do que noutros Estados. José Eliton é um político responsável, o que está sendo assimilado pela população”, afirma Bráulio Morais. “O jovem tucano governa com energia, rapidez e apresenta soluções pragmáticas e eficientes.”

A situação de Ronaldo Caiado “é complicada”, sustenta Bráulio Morais. “À primeira vista, de acordo com algumas pesquisas, o senador estabilizou-se, com pouco mais de 35%. Mas a leitura correta dos dados é outra. Como não cresce, mesmo sendo mais conhecido que os adversários, a tendência de queda é o caminho mais previsível, sobretudo porque faltam-lhe discurso global para os eleitores goianos e estrutura político-eleitoral no interior. Politicamente, é meramente conservador, de direita — o que afasta o eleitorado de centro e de esquerda. Ronaldo Caiado enfrenta muita oposição política, tanto de José Eliton quanto de Daniel Vilela, o candidato do MDB a governador, quanto da própria sociedade civil.”

Como Caiado “não cresce, a tendência é que seus adversários cresçam, mudando a configuração do quadro eleitoral. Quando Caiado começar a cair, especialmente entre julho e agosto, aí não haverá artifício que evite a debacle. Sem o MDB, Caiado vai cair e é possível que, se for para o segundo turno, não irá em primeiro lugar”.

7
Deixe um comentário

4 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

PIERRE MAGALHAES DE LIMA

O Bráulio tá com problema no Bráulio,quanta bobagem ,quanta asneira! !

Sergio

Zé Eliton vamos com tudo, todos os servidores comissionados estão com você

Charles

Larga a teta meu fi. Ano que vem pra você é RUAAAAAA!!

luis Antonio

comissionados estão mesmo se não perde o emprego. Agora os de carreiras a maioria votaria contra o psdb.

João machado

Caiado vai virar Caído

JURANDIR PEREIRA

DUVIDO…

Ademário Neto

A história do caiadismo em Goiás não nega o que o Caiado ainda pode fazer.
Ruim sem ele, muito pior com ele.