Deputado federal Alexandre Baldy | Foto: Renan Accioly
Deputado federal Alexandre Baldy | Foto: Renan Accioly

O deputado federal Alexandre Baldy, do PSDB, reuniu a família — o sogro, o multimilionário Marcelo Limírio (dono do iate no qual o cartorário José Augusto, o Zé Trovão, apareceu comemorando a dolce vita) é quem decide de fato — e os aliados e disse: “Digam ao povo de Anápolis que sou candidato a prefeito”. Sim, em 2016.

Como líderes políticos e empresários queriam bancar a candidatura de Frederico Jayme para prefeito, Baldy saiu do casulo e decidiu admitir, publicamente, sua candidatura.

Baldy decidiu-se de fato pela candidatura depois de uma longa e produtiva conversa com o governador de Goiás, Marconi Perillo. O tucano-chefe deu sinal verde. Agora, é descer do pedestal e conversar com líderes políticos, em­presários e comunitários de Anápolis e definir táticas para este e para o próximo ano.

Se quiser fazer uma campanha competitiva, o primeiro passo é convencer os aliados a trabalharem com paixão e razão. O segundo é entender que o prefeito João Gomes, do PT, não é nenhuma galinha morta. O petista, a rigor, tem mais identidade com Anápolis do que Baldy. E, claro, está no poder, com uma máquina azeitada.