Abelardo Vaz diz que Dioji Ikeda lhe deixou uma prefeitura com dívidas e em situação caótica

As ruas estão esburacadas e sujas e há parcelamentos altos de dívidas

Prefeito e ex-prefeito de Inhumas

O prefeito de Inhumas, Abelardo Vaz (PP), diz que o ex-prefeito Dioji Ikeda (PDT) deixou a máquina pública e a cidade em situação caótica. “Há parcelamentos altos de dívidas e há dívidas que estou descobrindo agora. As ruas estão esburacadas. Como uma criança morreu, supostamente de dengue hemorrágica ou meningite, estamos procedendo a uma grande limpeza da cidade. Estamos recapeando as ruas. O governo do Estado emprestou-nos duas patrulhas, com várias máquinas, que vão ser usadas durante uma semana.”

Abelardo Vaz fez duas reivindicações imediatas ao governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). “Primeiro, pedimos a duplicação da GO-222 no perímetro urbano. Segundo, solicitamos que o governo nos ajude a aumentar os cursos da Universidade Estadual de Goiás no município.”

Marconi, frisa Abelardo, vai ajudar Inhumas com convênios para recapeamento das ruas. “Há buracos em toda a cidade.”

Uma das áreas de Inhumas que vai receber incentivo farto é a saúde. “Por intermédio de emenda do deputado federal Roberto Balestra, conseguimos 2 milhões de reais para custeio da saúde”, informa Abelardo. “Nós conseguimos uma carreta do Sesc com serviços de prevenção ao câncer de útero e mama. Ela estará em Inhumas no dia 17 de janeiro. Em março, uma carreta do Sesc, com serviços odontológicos, estará na cidade.”

A estrutura da UPA, construída pelo ex-prefeito Dioji Ikeda, “é boa, mas os serviços são deficientes. Portanto, vamos investir nos serviços, colocando, por exemplo, especialidades médicas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.