Após dirigir filme sobre Marighella, Wagner Moura diz que teme retornar ao Brasil

Ator informou ao The Daily Telegraph que sente pela primeira vez que sua vida está em risco no país por conta das tensões políticas

Wagner Moura Brasil

Wagner Moura | Foto: Reprodução

O ator Wagner Moura, que atualmente está atuando como jurado no Festival de Cinema de Sydney, na Austrália, afirmou em entrevista ao The Daily Telegraph que tem medo de retornar ao Brasil. Ele justifica que, por conta das tensões políticas, teme por sua segurança. O último filme em que Wagner Moura trabalhou, “Marighella” (como diretor) foi criticado no Brasil, inclusive por Jair Bolsonaro, embora o filme ainda não tenha sido lançado no país.

Segundo o cineasta, a produção é vista como uma “ameaça” pelas distribuidoras de filmes brasileiros, por sua conexão com a atual situação política nacional. Após cinco anos de trabalho de Wagner Moura, o longa estreou no 69º Festival Internacional de Cinema de Berlim. “Eu estava preparado para que o filme polarizasse as pessoas e gerasse críticas,” afirmou ele, “mas não estava preparado para que distribuidoras não tivessem coragem de lançá-lo.”

A estrela de Narcos, Tropa de Elite, Elysium e outros, afirmou que seu receio não o impedirá de voltar ao Brasil, “mas isso poderá mudar se as coisas escalarem ainda mais. Sempre que vou ao Rio ou a São Paulo, tenho que tomar cuidado. É de partir o coração”, disse Wagner Moura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.