Da tribuna da Câmara de Ponta Grossa, pastor Ezequiel Bueno (PRB) condenou show da drag queen em evento na cidade

Foto: Fernanda Leonor/365 Shows

A presença da cantora drag queen Pabllo Vittar na 28ª edição da München Fest, que acontece em dezembro, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, provocou revolta de líderes religiosos da cidade. Na última segunda-feira (16), o vereador e pastor Ezequiel Bueno (PRB) usou a tribuna da Câmara para condenar a apresentação.

Segundo ele, Ponta Grossa não poderia receber “este tipo de show” por ser “conservadora” e “uma cidade de família”. Policial militar aposentado, o parlamentar chegou a afirmar que irá prender a cantora, mesmo que vá preso em seguida por abuso de autoridade.

De acordo com o vereador, durante passagem pela cidade, a cantora visitaria escolas com o deputado federal Jean Wyllys (PSOL) para falar sobre diversidade social, o que deixou o pastor ainda mais irritado. A informação, no entanto, já foi negada pelo próprio parlamentar socialista em suas redes sociais.

“Quem quiser ir no show pode ir sem problema, desde que não seja com o meu dinheiro. E acho que vai pouca gente. Mas se inventar de sair na rua ou nas escolas, eu vou prender. Mesmo que depois eu seja preso por abuso de autoridade, como já falei e falo de novo. Não vamos deixar isso acontecer”, declarou o vereador.