Vereador de Luziânia denuncia uso de recursos públicos por servidores da prefeitura para fim pessoal

Everaldo Meireles diz que, se comprovado, será possível pedir o afastamento de Cristóvão Tormin

Vereador Everaldo Meireles | Foto: Reprodução

O vereador Everaldo Meireles (PHS), de Luziânia, fez uma requisição na Câmara Municipal da cidade de esclarecimentos por parte da prefeitura sobre dois cheques descontados no Banco Regional de Brasília (BRB), em Valparaíso de Goiás, em 2018, emitidos pela Associação Atlética Luziânia. O dinheiro teria servido para quitar dívida particular de dois servidores da prefeitura.

“Tive a informação que o primeiro cheque foi descontado em 7 de março no valor de R$ 100 mil e o outro em 10 de abril, ambos da Associação Atlética de Luziânia. E temos indícios de que era para pagar contas pessoais”, disse.

Em plenário, o vereador pontuou, também, que a Associação possui CNPJ próprio e pega verba do município. “E tem funcionário lotado na prefeitura que assina pela Associação”, acusou. Segundo ele, já protocolou o caso no Ministério Público e aguarda o posicionamento da Associação. “Mas tem filmagens no banco da pessoa descontando os cheques”, adiantou.

Dívida de empréstimo

Ainda conforme o parlamentar, os cheques seriam para pagar uma dívida relativa a um empréstimo feito com um empresário, que está disposto a depor no MP. Os beneficiados seriam dois funcionários da administração pública, mas o vereador optou por manter os nomes em sigilo. 

“Se for verídico, podemos pedir o afastamento do prefeito [Cristóvão Tormin (PSD)] por passar a verba para a Associação e esta ser usada para pagar coisas pessoais”, exclamou. “Não é dívida de Luziânia”, reforçou.

Ao Jornal Opção, o vereador ainda disse que o próprio empresário, que seria o credor da dívida, passou a informação a ele. Além disso, Everaldo afirma que, apesar desse repasse — que deveria ser destinado à Associação — o time de futebol está com salários atrasados em dois meses.

“Esse dinheiro seria destinado à manutenção do time, folhas de pagamento dos jogadores e equipe técnica”, explicou. Questionado sobre a posição da prefeitura acerca de suas demandas em plenário, ele revelou ainda não ter sido atendido.

Everaldo também afirmou que pediu ao banco a microfilmagem dos cheques para descobrir quem assinou. “Não sei se o prefeito está ciente, mas acredito que sim”, especulou. Até o contato ele também não tinha recebido a filmagem.

Resposta

A Assessoria de Comunicação da prefeitura de Luziânia não dispõe de telefone em sua página, na internet, mas um formulário de contato, que foi preenchido. O contato também foi tentado pelo telefone direto da prefeitura.

Também foi tentado contato direto com o prefeito, mas sem sucesso. O Jornal Opção ainda aguarda o retorno para esclarecimentos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.