Vereador de Goianira tem mandato cassado e direitos políticos suspensos por três anos

Sentença condenatória reconheceu que o ex-vereador praticou ato de improbidade administrativa

Foto: Reprodução

Antônio Lopes Júnior (PSB), eleito vereador por Goianira no último pleito, teve seu mandato cassado e direitos políticos suspensos por três anos, conforme atesta o comunicado enviado à presidente da Câmara municipal, vereadora Kátia Alves Tourinho (Rede).

Sob requerimento de Edson Caselli, empresário do município, o mandado foi expedido com prazo de cumprimento para o dia 13 de agosto de 2019. A sentença condenatória reconheceu que o ex-vereador praticou ato de improbidade administrativa.

O vereador Lacerdy Cardoso Teixeira Junior (PSD), o Junim do Didi, falou sobre a decisão e alegou que Antônio, de fato, praticava irregularidades no exercício da função.  “No período de 01/01/2013 a 30/03/2013, Antônio Lopes acumulou três cargos públicos”, afirmou. O vereador seria diretor da Escola Municipal José Luiz Bittencourt e ocuparia, ainda, um cargo na Secretaria Estadual de Cidadania e Trabalho de Goianira.

“Nas duas funções, ele teria que trabalhar 80 horas semanais, ou seja, 16 horas por dia, de segunda à sexta. Fora o tempo que teria que se dedicar ao cargo de vereador”, pontuou Junim do Didi.

E disparou: “Esse é um desabafo meu, um vereador que ficou escutando essas ladainhas. As coisas não funcionam dessa forma, a gente tem que trabalhar é para a nossa cidade, e não preocupar apenas com si próprio”.

A sentença proferida impôs as seguintes sanções ao ex-vereador: Ressarcimento integral do dano, no valor corresponde ao montante líquido recebido nos meses de janeiro a março de 2013 no cargo de professor/diretor; Suspensão dos direitos políticos por três anos; E multa civil de cinco vezes o valor da remuneração o percebida pelo requerido, ou seja, cinco vezes o valor de R$ 3 866,53.

Além disso, Junim do Didi questionou o fato de o vereador cassado não ter mencionado o ocorrido na Folha de Goianira, página que, segundo o parlamentar, tem textos publicados de autoria de Antônio. “Digita seu próprio texto e fala para a população”, disse.

A mesma plataforma já mencionou o nome de Junim do Didi, alegando que ele, e outros integrantes da Câmara Municipal, haviam contratado funcionários fantasmas.

O Jornal Opção entrou em contato com o vereador Antônio Lopes, que alegou serem falsas as afirmações do ex-colega da Câmara, e que irá fornecer mais detalhes sobre seu afastamento.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.