Bate boca e acusações de traição marcam eleição da Mesa Diretora

Diversos parlamentares chamaram Anderson Salles “Bokão” (DEM) de traidor durante a eleição para a mesa diretora da Câmara

Foto: Felipe Cardoso / Jornal Opção

O clima quente e o bate boca entre vereadores de grupos adversários marcaram a eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Goiânia realizada nesta sexta-feira, 1º. Durante os votos, alguns vereadores acusaram Anderson Sales “Bokão” (DEM), de ser traidor por ter migrado para outro grupo nas vésperas da eleição.

O vereador foi eleito 4º Secretário na chapa encabeçada por Romário Policarpo (Patriota), que terminou vitoriosa.

Durante as negociações para a formação das chapas para a eleição da mesa diretora da Câmara, Bokão saiu da chapa encabeçada por Dr. Gian (MDB), para o grupo de Romário Policarpo. A “traição” não passou ilesa e Bokão passou a ser atacado por alguns vereadores do grupo adversário.

“Uma coisa é você sair de uma chapa que você não garantiu estar nela. Outra coisa é você garantir, construir a chapa e ser traído. Dar a palavra, dizer que vai construir, convidar o vereador igual eu fui convidado. É diferente”, alfinetou Sargento Novandir (Republicanos). Marlon, do Cidadania, chegou a dizer que Bokão “é a escória da Câmara Municipal”.

Já Mauro Rubem (PT) saiu em defesa do colega. “O Anderson não é traidor. Essa chapa foi construída corretamente e aqui tão querendo ganhar no grito”, protestou.

Em entrevista ao Jornal Opção, Anderson Salles “Bokão”, explicou a sua mudança de lado no apagar das luzes. Segundo ele, a chapa o acusou pois queriam encontrar alguém para atacar a partir do momento que perceberam que seriam derrotados. Anderson também disse ter se sentido usado por Léia Klébia, que o convidou para integrar a chapa.

“Fui convidado pela vereadora Léia Klébia a compor esse grupo, ela sim tinha interesse de ser presidente e queria me usar nesse grupo e eu não aceitei o uso. Tenho um mandato independente, não devo nada para ninguém, a partir do momento que eles viram que iam perder procuraram alguém para atacar”, justificou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.