Vanderlan Cardoso critica Plano Nacional de Imunização e busca destravar compra de vacinas pelo setor privado

Senador afirma que necessidade de enviar enviar doses adquiridas ao Ministério da Saúde fez empresários recuarem na decisão de comprar imunizantes e sugere mudança no PNI para que empresas doem apenas metade das vacinas

Vanderlan Cardoso | Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

A imunização contra a Covid-19 estaria avançada se não fossem as regras impostas pelo Plano Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde. Essa é a avaliação do senador Vanderlan Cardoso (PSD) que sugere mudanças no PNI.

Para Vanderlan, setor privado recuou da decisão de adquirir imunizantes uma vez que deveriam repassar os imunizantes ao governo federal.

“As clínicas particulares tentaram comprar a vacina para aquelas pessoas que têm condições de vacinar e de pagar. São cinco milhões de doses que teriam que ir também para o Plano Nacional, então eles recuaram. Os empresários, associações, como a Unimed, por exemplo, que é de saúde, tentou comprar a vacina para imunizar seus funcionários, para vacinar as pessoas que têm plano de saúde, mas não puderam porque teria que ir para o Plano Nacional de Imunização, ou seja, todos recuaram. Esse foi o erro”, analisa.

Como solução para o impasse, Vanderlan diz que levantou uma ideia que começa a ganhar força. “Posso dizer que buscamos muitas soluções. Eu levei essas soluções e discuti essas soluções, e elas pegaram corpo agora. Por exemplo, no meu caso, são quase dois mil funcionários que nós temos, então a empresa compraria, no mínimo, quatro mil doses e vacinaria os funcionários e doaria duas mil doses para o município. Mas poderia comprar 5 mil, 10 mil…Isso dependeria do caixa das empresas. Então, o município ia buscar essa parceria com os comerciantes, parceria com a população”, explica.

Vanderlan diz que busca também, junto ao trade que representa laboratórios, em especial o da Rússia, destravar a compra de vacinas. Mas adianta que se não houver mudanças no PNI, de nada adiantará.

“Não adianta os municípios assinarem protocolo se não mudar o Plano Nacional de Imunização. Ou seja, se Anápolis, como o prefeito está fazendo, como o prefeito de Senador Canedo, de Trindade, de Goianira, comprando 500 mil doses de vacina, não adianta eles comprarem a vacina e a vacina ir para o Plano. Não vai vacinar ninguém desses municípios. Tem de mudar essa política de imunização”, ressalta.

Eleições 2020

Durante entrevista à Rádio Sucesso, Vanderlan Cardoso respondeu questionamentos de ouvintes sobre o resultados das eleições de 2020, quando o senador disputou a Prefeitura de Goiânia.

“Até as crianças da creche sabem que a posse do prefeito de Goiânia foi uma fraude”, disse ao responder à pergunta de um ouvinte sobre se acha justo atual sistema político.

O senador disse ainda que tentou alertar a população de que quem assumiria a cadeira de prefeito seria Rogério Cruz (Republicanos), caso Maguito não recuperasse. “Eu tentei avisar que a eleição era uma fraude. Que eu fiquei sozinho para debater sobre os problemas da cidade e que esconderam o vice. Fui mal interpretado. Mas a população escolheu. Então cabe a nós aceitar e seguir em frente”, reiterou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.