“Vamos enfrentar de frente”, assegura Lissauer caso Reforma da Previdência recaia sobre os Estados

Em reunião com governador, presidente da Alego diz ter discutido diversas pautas importantes para o Estado, mas duodécimo, segundo ele, ficou de fora

Lissauer Vieira | Foto: Fernando Leite

O presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSB), disse que ao se reunir com o governador do Estado, Ronaldo Caiado (Dem), na última semana, ambos discutiram diversas “pautas importantes para Goiás”, no entanto, garantiu que o duodécimo se manteve fora de pauta.

Lissauer considerou o encontro oportuno para tratar do Plano de Recuperação Fiscal do Estado, por exemplo. Para ele, esta é uma medida importante que deve ser debatida no Legislativo de maneira “séria e transparente”. “Ás vezes o remédio pode ser amago em algumas ações por parte do governo, mas a Assembleia está aqui para discutir esse assunto”. E  completou: “Existem pautas que tenho ideias convergentes com as do governo. Vamos tratar tudo de forma muito tranquila”.

Duodécimo

“Ainda não discutimos nada sobre esse assunto e vamos aguardar os acontecimentos de agora para frente”, disparou o presidente ao ser questionado sobre a negociação.

Segundo Lissauer, a Assembleia já conversou com  o secretário de Governo, Ernesto Roller, e também com a secretária de Economia, Cristiane Schimidt sobre o assunto e, agora, o próximo passo será tratar diretamente Caiado, porém, de maneira mais aprofundada.

“Na conversa que tive com o governador tratamos superficialmente sobre isso. Precisamos ter uma conversa mais formal, mas tudo com muita calma, não temos nenhuma sangria para resolver isso rapidamente”, assegurou.

“Queremos deixar as coisas acontecerem, mas, ao mesmo tempo, sabendo que temos uma proposta concreta sobre isso, inclusive a de redução de R$ 40 milhões do duodécimo para o ano que vem”, explicou Lissauer.

Este valor, segundo o presidente, diz respeito à “manutenção e custeio da Casa”. “Isso já foi muito bem estudado por nós e sabemos que essa diminuição não irá afetar em nada o bom andamento da Casa. Queremos contribuir com o governo; estamos dispostos, inclusive, a devolver dinheiro do duodécimo deste ano. Porém, temos que ter nossa autonomia financeira”, pontuou.

Reforma da Previdência

Outro ponto destacado pelo parlamentar diz respeito a discussão da Reforma da Previdência em Brasília. “Esperamos que Brasília resolva isso por lá, até porque precisamos de uma reforma que venha de cima para baixo e que atinja a União, os Estados e municípios”.

Segundo o parlamentar, essa é a esperança do Legislativo. Porém, Lissauer reconheceu que a dificuldade de consenso no âmbito federal. Em seguida, disse que Ronaldo Caiado acertou em propor que os governadores pudessem legislar temporariamente por meio de decreto. “Acho que essa seria uma saída, até mesmo para prorrogar um pouco mais a discussão do tema nos Estados. Mas se não tiver um entendimento em Brasília e o tema tiver que vir para cá, vamos enfrentar de frente”, disparou.

Por fim, o presidente voltou a manifestar sua opinião sobre a Reforma: “Entendo a Reforma da Previdência como necessária para o bom andamento do País. Ninguém consegue sobreviver com prejuízo. A nossa previdência está dando um prejuízo de R$ 200 milhões por mês aos cofres. Esse dinheiro poderia ser investido, mas temos utilizado para cobrir o rombo. Precisamos discutir isso com tranquilidade e quero ser um aliado do governo nesse processo”, pontuou.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.