Filho do cronista esportivo Valério Luiz e assistente de acusação no julgamento sob o assassinato do pai, Valério Luiz Filho disse ao Jornal Opção que deve recorrer da decisão que pode anular condenação de Maurício Sampaio, que o recurso será apresentado pelo Ministério Público e falou que quer conversar pessoalmente com ministra que deferiu o habeas corpus. Ele considerou a decisão como “genérica e irresponsável”.

A ministra Daniela Teixeira, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), acatou um pedido de habeas corpus da defesa de Sampaio apontando irregularidades no interrogatório de de Marcos Vinícius Pereira Xavier. “Trata-se de um depoimento feito sob todos os requisitos legais, conforme reconhecido pelo tribunal daqui” comenta.

Valério explica ainda que a decisão precisa ser ratificado pelos desembargadores, que podem entender que a decisão não alcança o tribunal do júri. “O que nos cabe aqui é recorrer dessa decisão, o que vai ser feito pelo Ministério Público”, relata.

Condenação

Foram condenados Ademá Figueredo, Marcus Vinícius Xavier, Urbano Malta e Maurício Sampaio, este, considerado o mandante do crime, foi sentenciado a 16 anos de prisão – em regime fechado, como os demais. Ademá também pegou 16 anos; Marcus e Urbano, 14. Já Djalma da Silva foi absolvido.

Os jurados acolheram a tese defendida pelo MPGO e reconheceram as autorias e participações do crime, ocorrido há dez anos e cujo julgamento vinha se arrastando em razão de adiamentos provocados pela defesa. A defesa tentou, mais uma vez, suspender o julgamento, sem êxito, bem como obter um habeas corpus preventivo para Sampaio, também sem sucesso.

Leia também:

STJ confirma habeas corpus e decisão pode anular condenação de Maurício Sampaio

Caso Valério Luiz: Julgamento de apelações é marcado para dia 19; “ansiedade grande”, diz filho