Plataformas dizem que vão reajustar valores entre 5 e 6,5% para compensar altas nas bombas de postos de combustíveis

As duas principais plataformas de transporte de passageiros anunciaram aumento no preço das viagens como forma de compensações ao reajuste dos combustíveis para os motoristas.

Em um comunicado, a Uber disse que haverá um reajuste temporário de 6,5% nos preços a ser aplicado nas viagens a partir da próxima semana. Segundo a empresa, o objetivo ajudar os motoristas a lidar com o pico de alta em seus custos operacionais.

A empresa também prometeu um pacote de R$ 100 milhões direcionados a iniciativas para ampliar os ganhos e reduzir os custos dos motorista.

Já a empresa 99 anunciou que vai reajustar em 5% por quilômetro rodado no ganho do motorista. Segundo a plataforma, o acréscimo será implementado já nos próximos dias, nas 1.600 cidades onde a empresa opera. A plataforma disse ainda está testando um “subsídio” para acompanhar as flutuações dos combustíveis, tanto para cima quanto para baixo. Após os testes, o novo recurso seria implementado, mas ainda sem data.

Empresas de entregas também precisaram reavaliar os preços praticados. Segundo o iFood informou, a plataforma “segue dialogando com os entregadores como parte do processo de escuta que já resultou em medidas para a categoria na questão de ganhos, bem-estar e transparência”. O iFood, no entanto, não anunciou reajuste em suas tarifas.

Os motoristas de aplicativos e entregadores dizem que a situação tornou-se insustentável após a nova escalada de preços dos combustíveis. Eles agora calculam o impacto do aumento na atividade profissional. Para muitos, a disparada dos preços — que no caso da gasolina foi de 18,8% — poderá inviabilizar a continuidade do trabalho.