Três hospitais estaduais fecham as portas por falta de repasses do governo

Não há previsão para que os serviços oferecidos sejam normalizados. Nesta quarta-feira, 26, o Hospital São Cottolengo também informou que não conseguirá atender novos pacientes

Huapa | Foto: Reprodução

Três hospitais estaduais estão com as portas fechadas, nesta quinta-feira, 27, por falta de repasses do Governo estadual. Em Goiânia, o Hospital Estadual Materno-Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (HMI) e, em Aparecida de Goiânia, o Hospital Estadual de Urgências de Aparecida de Goiânia Cairo Louzada (Huapa) e Hospital Estadual e Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (HEMNSL) são geridos pelas Organizações Sociais, IGH e Humanização, ambas alega não ter recebido repasses do governo.

Os pacientes que chegam ao local em busca de atendimento são orientados a buscar outras unidades, com exceção de “casos com iminência de morte”, conforme está escrito em aviso fixados nas portas das unidades.

Foto: Divulgação

A assessoria de Comunicação das OSs informou que não há previsão para que os serviços oferecidos sejam normalizados.

Nesta quarta-feira, 26, o Hospital São Cottolengo também informou que paralisou seus atendimentos em virtude da falta de repasses do Governo Estadual e dos incentivos do Governo Federal. O Hospital São Cottolengo atende a mais de 130 municípios goianos e está, há 6 meses, com os repasses atrasados.

De acordo com a assessoria de imprensa da unidade, diversas negociações foram tentadas, inclusive com a renovação do contrato que venceu em outubro, mas nenhuma com sucesso, até o momento. “Desta forma, estão suspensos novos atendimentos ambulatoriais e cirurgias eletivas”.

Confira a nota da assessoria de imprensa da IGH na íntegra: 

Nota do IGH à Imprensa – Bloqueio de novas internações

O Instituto de Gestão e Humanização (IGH) – organização social gestora do Hospital Estadual Materno-Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (HMI), Hospital Estadual de Urgências de Aparecida de Goiânia Cairo Louzada (Huapa) e Hospital Estadual e Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (HEMNSL), informa que foi obrigada a bloquear novas admissões de pacientes nas três unidades que administra em Goiás, em virtude da falta de repasses pela Secretaria de Estado da Fazenda de Goiás (Sefaz-GO), por meio da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO). A medida entra em vigor a partir de hoje (27/12) e vai afetar todos os tipos de atendimentos ofertados nos três hospitais, sendo estes de urgência, emergência e/ou eletivos. Portanto, os pacientes que procurarem pela assistência nas unidades geridas pelo IGH serão orientados a procurar outras unidades. A Central de Regulação já foi informada para que possa viabilizar a transferência dos pacientes para serviços de saúde com o mesmo perfil de atendimento. Até que a situação seja regularizada, não há previsão para que o funcionamento do HMI, Huapa e HEMNSL seja normalizado. Informamos que tal medida visa tentar reduzir danos a segurança dos pacientes já internados, já que estamos com bloqueio nas entregas de material médico hospitalares e paralisação de serviços essenciais ao funcionamento das unidades.

Rita de Cássia Leal – Diretoria Regional do IGH

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.