Temer diz que proposta de novas eleições é “golpe”

Vice-presidente criticou grupos que defendem novas eleições gerais ainda em 2016

Vice-presidente Michel Temer  | Foto: Ascom- VPR

Vice-presidente Michel Temer | Foto: Ascom- VPR

O vice-presidente Michel Temer (PMDB) afirmou, nesta terça-feira (26/4), que os que tentam antecipar as eleições presidenciais estão tentando aplicar um “golpe”.

A declaração foi dada à Folha de S. Paulo, quando ele explicou que não há previsão na Constituição Federal, para antecipar o pleito de 2018 — tese defendida, por exemplo, pela Rede da ex-presidenciável Marina Silva.

Inclusive, a própria presidente Dilma Rousseff (PT) estaria ja´cogitando defender novas eleições gerais caso o Senado aprove seu afastamento.

Temer afirmou que se isso ocorresse nos Estados Unidos, as pessoas ficariam envergonhadas, “coradas”. Ainda na entrevista, caso assuma o governo, pretende abrir um canal de diálogo com todos os partidos, incluindo os de oposição. “Grupos de esquerda podem protestar a vontade, contanto que não infernizem a vida do País”, arrematou.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Caio Maior

Nos EUA provavelmente se uma chapa (presidente e vice) fosse comprovadamente eleita com recursos de origem ilícita, AMBOS seriam afastados dos respectivos cargos e -certamente – banidos da política.

Bolsonárico

Claro que é golpe. A constituição permite isso?