Sobreviventes do acidente da Chapecoense fazem relato emocionante sobre a tragédia

Texto assinado pelos jogadores Neto, Jakson Follmann e Alan Ruschel foi publicado no The Players Tribune, plataforma de relatos autorais de esportistas

Alan, Jakson e Neto no dia em que receberam a taça de campeões da Copa Sulamericana | Foto: Sirli Freitas / Chapecoense

O The Players Tribune, site que dá espaço para esportistas de diversas modalidades publicarem textos autorais, postou nesta quarta-feira (23/8) um relato dos três únicos jogadores da Chapecoense que sobreviveram ao trágico acidente que, em novembro do ano passado, vitimou todo o time na Colômbia, onde eles disputariam a final da Copa Sulamericana.

O ex-goleiro Jakson Follmann, o lateral Alan Ruschel e o zagueiro Neto começam o relato contando que o voo começou tranquilo, com os jogadores se divertindo e confraternizando antes do sonhado jogo da final. “A gente estava levando um clube de uma cidade pequena do Brasil para a final da Copa Sulamericana. Então a gente estava muito feliz”, disse Alan.

Neto conta, em um dos detalhes mais impressionantes do relato, que sonhou com o acidente poucos dias antes da viagem e pediu que a esposa rezasse por ele antes do voo decolar. Depois da queda, relatam, estava tudo muito escuro e era possível ouvir alguns dos jogadores gemerem, e cada vez menos.

“Eu acordei na mata. Eu abri meus olhos, mas estava tudo muito escuro. Chovia. E estava muito, muito frio. Eu não podia ver – eu só podia ouvir coisas. Muitas pessoas estavam gemendo, pedindo ajuda. Eu comecei a pedir ajuda, também. Mas eu não fazia ideia de onde eu estava. Eu não fazia ideia de que eu tinha caído de um avião. Eu só me lembro de suplicar que eu não queria morrer”, diz Jakson.

Depois de terem sido resgatados, eles lembram que, inicialmente, não podiam saber do ocorrido, já que ainda estavam em situação delicada. No começo, a orientação médica para a família e para equipe da Chape era de dizer que eles tinham se machucado no jogo, que teoricamente ainda não havia terminado.

“Eu acreditei nele [no médico da Chapecoense]. Eu achava que o jogo ainda estava acontecendo, e eu estava chateado com Deus. Eu estava pensando, como você pode me tirar daquela final? Eu preciso estar lá com os meus irmãos”, relata Neto. Muitas coisas passaram pela minha cabeça. Eu pensei que talvez os torcedores tivessem invadido o campo e nos agredido. Ou que talvez eu tivesse sido atropelado no estacionamento antes do jogo. Mas eu nunca pensei do avião. Como eu podia imaginar aquilo?”

Alan prossegue o relato: “No dia seguinte, mais médicos chegaram, e eles vieram conversar comigo. Eles disseram que queriam parar de me sedar, mas que eu tinha de permanecer calmo. Eu disse O.K. Foi quando eles me contaram que o avião na verdade tinha caído. Não foi um pouso de emergência”.

Oito meses após a tragédia, eles contam que ainda é difícil acreditar que tudo aquilo aconteceu. “Ainda parece que não é verdade. Parece que todo mundo foi viajar, e que eles vão voltar. Eu, Neto e Alan falamos muito sobre isso. Tudo vai voltar ao normal. Nós vamos voltar e jogaremos juntos novamente.”

“‘Eu lembro que, alguns meses atrás, Neto e eu estávamos jogando videogame. Nós estávamos falando como os nossos colegas de time costumavam jogar. Eu disse, ‘Cara, você lembra como o Sérgio Manoel jogava desse e daquele jeito?” E o Neto me disse, ‘Cara, parece que eles ainda estão aqui'”, lembra o lateral.

Agora, o sentimento deles é de que foi uma sorte enorme terem sobrevivido e, por isso, têm motivos para agradecer e viver, simplesmente, como diz Jakson: “São apenas oito meses desde o acidente. Não dá para encontrar explicação – para o acidente, para nós termos sobrevivido. Eu aprendi a parar de procurar as respostas”.

“Eu não perdi o gosto por viver. Especialmente depois de tudo que aconteceu. Eu sempre acordei com um sorriso no rosto, desde quando eu era uma criança que sonhava em ser goleiro. E graças a Deus, eu fui capaz de viver esse sonho por 12 anos. Eu fui agraciado com essa benção na vida. Eu vivo o momento. Eu vivo por hoje. O amanhã pertence a Deus”, finaliza o ex-goleiro.

Confira o relato completo aqui. E veja o vídeo do relato aqui:

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.