SMS repudia atuação de vereadores e amplia crise entre Câmara e gestão Iris

Secretaria ataca condução de trabalhos da comissão que investiga a situação da saúde pública em Goiânia e cria novo impasse da prefeitura com a Casa de leis

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) emitiu nota em que repudia a atuação de vereadores à frente da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga a situação da saúde pública em Goiânia.

Os parlamentares estiveram na manhã da última quarta-feira (1º/11) na Superintendência de Regulação e Políticas de Saúde da capital, onde se depararam com uma situação preocupante: dos 133 médicos lotados no departamento, apenas quatro estavam trabalhando.

No comunicado emitido em resposta à visita surpresa, a gestão do prefeito Iris Rezende (PMDB) afirma que os vereadores agem para desqualificar profissionais em um “comportamento nada republicano”. Alega, ainda, que a condução da agenda nas unidades de saúde pela CEI “desrespeita médicos, enfermeiros e outros profissionais”.

“Atitudes agressivas e que colocam os serviços de quem atua na rede municipal sob desconfiança, não apenas desmerecem e desqualificam o cidadão que é este profissional, como também desmotivam, coagem e se tornam infrutíferas para qualificação do atendimento no SUS”, diz o comunicado.

O tom agressivo e a falta de anuência com o trabalho realizado pelos vereadores amplia a crise entre a Câmara de Goiânia e a gestão Iris, especialmente no que diz respeito à pasta de Saúde.

A secretária Fátima Mrué é constante alvo de reclamações por parte de parlamentares, que acusam a titular de mau gestão e também por evitar recebê-los no Paço. As críticas partem até mesmo de vereadores aliados, como é o caso do peemedebista Clécio Alves, presidente da comissão especial.

A própria Fátima já disse em entrevista à imprensa que não tem problemas com o Legislativo e que faz de tudo para receber todos os vereadores que a procuram. Dado o novo impasse com o andamento dos trabalhos da CEI, é de se esperar que a relação se estremeça ainda mais.

Confira abaixo a nota de repúdio da SMS na íntegra:

“A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia repudia a desqualificação dos profissionais da rede municipal por parte de vereadores que integram a Comissão Especial de Inquérito (CEI). O comportamento nada republicano na condução da agenda de visitas nas unidades de saúde desrespeita médicos, enfermeiros e outros profissionais que se dedicam ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Atitudes agressivas e que colocam os serviços de quem atua na rede municipal sob desconfiança, não apenas desmerecem e desqualificam o cidadão que é este profissional, como também desmotivam, coagem e se tornam infrutíferas para qualificação do atendimento no SUS, algo que deveria ser um objetivo comum. A exposição em vídeo sem autorização e aviso prévio viola direitos de privacidade e bioéticos de pacientes e servidores. A prática também incita o caos e tumultua a rotina de atividades nas unidades.

Os fatos que se sucederam durante a manhã desta quarta-feira, 1°, na mesa reguladora de vagas da SMS indubitavelmente afrontam os médicos, profissionais extremamente qualificados e essenciais ao serviço público, mas sobretudo violam noções básicas de cidadania. O ambiente de animosidade que se instala durante as visitas é inaceitável. A Secretaria não ficará omissa à estas atitudes. Situações de desconforto afetam os servidores e, acima de tudo, prejudica os usuários que deveriam ser protegidos pelo parlamento, cuja função é representar os cidadãos.

A SMS reconhece que o trabalho junto à Câmara Municipal de Goiânia é bem-vindo e que as contribuições dos parlamentares são importantes para o avanço de medidas que assegurem um atendimento cada vez melhor à população. A Secretaria está aberta a colaborar com a CEI, mas espera que os trabalhos ocorram em um ambiente onde o respeito seja uma condição inviolável.

Por fim, a Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia ressalta que trabalha para reconstruir a assistência em saúde na Capital e garantir este direito constitucional aos cidadãos. A pasta não tem sido inerte aos desafios enfrentados na rede pública de saúde e busca soluções efetivas que minimizem as dificuldades no atendimento aos usuários do SUS. Secretaria e Câmara podem seguir juntas na defesa dos SUS.”

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.