Senador Canedo inicia, em junho, obras que visam conter uma nova crise hídrica

Obras serão iniciadas no próximo mês e, em 150 dias, devem garantir água suficiente para o dobro da população atual do município. Custo de R$ 8 milhões foi financiado junto a empreendedores e Ministério Público

Sanesc | Foto: Divulgação

Município que ganhou as destaque no noticiário no final de 2020, início deste ano, em razão da falta de água. Senado Canedo inicia no próximo mês as obras que visam tentar conter uma nova crise hídrica na cidade. 

A Agência de Saneamento de Senador Canedo (Sanesc) lançou na última sexta-feira, 7, um Plano Emergencial do Sistema de Abastecimento Hídrico. Em até 150 dias, o projeto deverá garantir mais do que o dobro do atual fornecimento de água tratada, mesmo durante o período de estiagem. As obras custarão ao todo R$ 8 milhões e se iniciarão no próximo mês.

Em entrevista ao Jornal Opção, o presidente da Sanesc, Cainã Teodoro, afirmou que o processo de compra dos materiais já será iniciado na próxima segunda-feira, 10. De acordo com o diretor, o estudo dos mananciais que cercam o município e a avaliação do sistema de abastecimento municipal se iniciou no começo de sua gestão. 

“A necessidade do município é maior do que a produção de água tratada”, explicou Cainã Teodoro. “Atualmente produzimos 1,1 mil metros cúbicos de água por hora, e precisamos elevar esse número para 2,3 mil por hora. Para isso, iremos ativar uma nova estação de tratamento, implementar cinco quilômetros de adutora, adquirir novos conjuntos de motores-bomba, e ampliar a subestação do Sistema Bonsucesso”. As medidas devem ser capazes de elevar a produção de água do município até o ponto de atender 250 mil habitantes. Senador Canedo tem atualmente 115 mil moradores.

Financiamento das obras

O processo que levou ao plano emergencial teve início no Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO). No dia primeiro de dezembro de 2020, o órgão suspendeu a viabilidade da Sanesc, recomendando que a companhia de abastecimento revisasse os Atestados de Viabilidade Técnica e Operacional (AVTOs) expedidos, uma vez que não havia viabilidade de fornecimento de água no município para novos empreendimentos.

 Na prática, novos empreendimentos de Senador Canedo não poderiam receber o documento até que a Sanesc fizesse adequações que mitigariam a falta de água na comunidade. “Fizemos auditoria nos 26 empreendimentos da Sanesc”, disse Cainã Teodoro. “Apresentamos um relatório que foi avaliado pelo MP e então acordamos um Termo de Ajustamento de Conduta (Tac) para, junto aos empreendedores, financiarmos a obra”.

A apresentação do planejamento foi feita à promotora e ao perito ambiental Anselmo Claudino em reunião virtual ocorrida no último dia 3. Após a reunião, ficou acordado o Tac entre o município, o MP-GO, a Sanesc e empreendimentos de parcelamento urbano que estão sendo implantados na cidade.

Histórico

A crise hídrica em Senador Canedo é histórica, se arrastando pelo menos desde a emancipação do município em 1988. Durante a gestão do prefeito Vanderlan Cardoso (PSD), em 2005 a 2010, um plano de saneamento foi elaborado. Segundo Cainã Teodoro, entretanto, os sucessores de Vanderlan não deram prosseguimento ao plano. “O plano de saneamento era capaz de elevar a produção de água do município até o ponto de atender 250 mil habitantes. Senador Canedo tem atualmente 115 mil moradores. Queremos retomar esse plano original”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.