Sem pão, bolo nem bolacha, crianças da rede municipal “lancham” iogurte

Em meio a escândalos de desvios milionários na Secretaria Municipal de Educação, denúncias mostram que merenda dos alunos da Escola São Braz não tem comida

Copos dos alunos da escola São Braz: café da manhã foi iogurte | Foto: arquivo pessoal

Copos dos alunos da escola São Braz: café da manhã foi iogurte | Foto: arquivo pessoal

Após a Câmara Municipal de Goiânia denunciar supostos desvios milionários de alimentos destinados a merenda escolar da capital, o Jornal Opção Online recebeu, nesta quinta-feira (25/6), mais uma grave denúncia contra a Secretaria Municipal de Educação.

Os alunos da Escola Municipal João Braz, localizada no Setor São Judas Tadeu, “lancharam” apenas iogurte nesta manhã. Na foto acima é possível ver o que foi servido às crianças. “Não é a primeira vez. É uma situação recorrente. Uma vergonha”, critica um funcionário que preferiu não se identificar.

Ao contrário do que afirmou a secretária municipal de Educação de Goiânia, Neyde Aparecida (PT), em entrevista no último mês, a merenda oferecida da unidade de ensino da região Norte não atende às determinações do Ministério da Educação.

De acordo com o Art. 14 da Resolução nº 26 do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, o cardápio deve suprir, no mínimo, 20% (vinte por cento) das necessidades nutricionais diárias quando ofertada uma refeição, para os alunos matriculados na educação básica, em período parcial.

Um copo de iogurte tem, em média, 150 calorias. Os alunos em questão do período matutino têm entre 9 e 15 anos. Segunda a nutricionista Mônica Laboissière, uma criança nesta faixa etária precisa, diariamente, de 1500 calorias. Sendo assim, o iogurte desta quinta-feira atendeu apenas a metade do preconizado pelo Ministério da Educação.

“É muito pouco. Primeiro, porque não é uma dieta balanceada, deficiente em carboidrato. O ideal é ter porcentagem distribuída na alimentação: 50% de carboidratos, 15% de proteína, 30% de gordura. Além disso, é extremamente negativo porque as crianças não estão mastigando, consequentemente não estimulando a gengiva. O que pode levar a problemas futuros”, lamenta ela.

“Merendão”

Os vereadores Elias Vaz (PSB) e Djalma Araújo (SD) subiram à tribuna nesta semana para reafirmar as denúncias contra a Secretaria Municipal de Educação (SME) de desvios na merenda escolar de Goiânia.

Como mostrado com exclusividade pelo Jornal Opção Online no último mês, há forte indícios de que a prefeitura estaria comprando alimentos, mas que estes não estariam chegando, de fato, às escolas. De acordo com dossiê de Elias Vaz, há uma discrepância “enorme” entre o relatório global que foi entregue pela SME e os relatórios apresentados pelas escolas.

Para se ter ideia, os documentos elencados pelos parlamentares mostram dados preliminares de novembro de 2014 a abril deste ano, quando pelo menos 190 mil quilos de carne teriam sido comprados pela secretaria — comandada por Neyde Aparecida (PT) –, mas não chegaram, de fato, às escolas da rede municipal.

Além disso, no mesmo período, o Paço Municipal pagou mais de R$ 1,5 milhão a empresas fornecedoras de bolo, pães e bolachas, segundo dados divulgados no Portal da Transparência. Contudo, os vereadores denunciam que menos de 4% deste total chegou efetivamente às salas de aula — como ficou evidenciado pela denúncia na escola João Braz.

Resposta

A SME enviou nota oficial ao Jornal Opção Online sobre o caso. Segundo a secretaria, o fornecedor não entregou os alimentos em tempo hábil, por isso os alunos se alimentaram com iogurte. Entretanto, conforme a nota, a merenda foi entregue posteriormente, antes do término das aulas, a todos os estudantes.

A Secretaria Municipal de Educação e Esporte informa que empresa fornecedora de panificados não entregou o gênero alimentício em tempo hábil e a direção da instituição, a fim de não deixar os alunos por um período prolongado sem se alimentar, optou por servir no intervalo das atividades escolares apenas a bebida láctea e entregar para cada aluno antes do término das atividades escolares do turno, o panificado.

Ressaltamos porém, que na instituição mencionada, são servidas três refeições diárias. Hoje ainda, às 11h45, os alunos se alimentaram de arroz, feijão, carne bovina e abobrinha verde. No lanche da tarde, será servida canjica com amendoim.

SME

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.