Secretários de Iris vão à Câmara para articular aumento do IPTU em Goiânia

A articulação pesada, entretanto, parece não ter surtido efeito e a derrubada do veto está praticamente garantida

A sessão da Câmara de Goiânia para apreciar o veto do prefeito ao projeto que impedia o aumento contínuo do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) na capital foi suspensa por 20 minutos, na manhã desta quarta-feira (22/11) para que vereadores da base se reunissem com representantes do Paço, entre eles, os secretários de Finanças e de Governo, Alessandro Melo e Samuel Almeida, e o presidente da Agetul, Alexandre Magalhães.

A tentativa para persuadir os parlamentares quanto à manutenção do veto foi criticada por parlamentares, inclusive pelo peemedebista Clécio Alves. Na tribuna, ele ironizou a articulação e disse que o Paço estava dando “um remédio” para que os vereadores mudassem de opinião e votassem junto aos interesses da administração.

Presente na reunião, o vereador Anselmo Pereira (PSDB) negou as acusações e disse que, durante o encontro, foram apresentados apenas “argumentos técnicos e tributários”. “Não teve nenhuma apresentação de barganha ou remédio”, disse.

A articulação pesada, entretanto, parece não ter surtido efeito e a derrubada do veto está praticamente garantida.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.