Raquel Teixeira: “Sucesso do Fica não depende de volume de pessoas”

No primeiro dia do festival, secretária passeou pelas ruas da cidade e comemorou decisão de focar no cinema e nos debates sobre meio-ambiente 

Superintendente Jacqueline Vieira, secretária Raquel Teixeira, coordenador do Fica, Rodrigo Santana, e a prefeita Selma Bastos no lançamento do festival | Foto: Sarah Teófilo

Superintendente Jacqueline Vieira, secretária Raquel Teixeira, coordenador do Fica, Rodrigo Santana, e a prefeita Selma Bastos no lançamento do festival | Foto: Sarah Teófilo

Sarah Teófilo
da Cidade de Goiás

No dia da abertura da 17ª edição do Festival Internacional de Cinema Ambiental, na tarde desta terça-feira (11/8), a secretária Raquel Teixeira andou pelas ruas da Cidade de Goiás junto com a prefeita Selma Bastos (PT), com direito a parada na Praça do Coreto para degustar um picolé de cajá manga. Isso é clima de Fica. Com a cidade ainda vazia, a secretária pontuou que mesmo com menor fluxo de pessoas, nesta edição o conceito original do festival estará mais em evidência.

“O sucesso de um festival como esse tem que ser medido por outros parâmetros, e não só pelo volume de gente. Às vezes tinha gente que vinha e ia embora sem deixar nenhum legado. Agora teremos muita coisa de legado, mesmo com menos pessoa”, garante Raquel, em entrevista ao Jornal Opção Online.

Trabalhar com um orçamento reduzido foi um desafio. Com R$ 2 milhões a menos em um orçamento votado na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) no fim de abril, seria impossível realizar o festival em junho — mês original do festival  –, assim como ter shows de destaque nacional.

A secretária pontua que este último fato foi o de maior impacto no festival. Entretanto, como já havia dito anteriormente, não vê a questão como um problema. “Achava ruim esses grandes shows roubarem o foco da temática original, ou dos músicos goianos. O conceito do fica é cinema ambiental”, explica.

O fim das atrações musicais nacionais foi bem recebido pela população vilaboense, defende ela. A possibilidade da perda do comércio com a diminuição da quantidade de pessoas na cidade não é algo que os comerciantes de Goiás devam se preocupar, completa.

“Algumas pessoas achavam que grandes shows traziam pessoas que vinham com suas cervejinhas no carro, sujavam a cidade e iam embora, sem consumir muito. O público é diferente, focado no que é o festival, e haverá sim grande circulação de dinheiro sim”, completa.

Fica Limpo

Nesta tarde, juntamente com a prefeita Selma, com a superintendente executiva de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Secima, Jaqueline Vieira e com o coordenador geral de produção do Fica, Rodrigo Santana, a secretária inaugurou 70 lixeiras do projeto “Fica Limpo”.

O programa, idealizado por Rodrigo, foi criado no 2º Fica e visa assegurar a limpeza da cidade durante o evento. O lixo recolhido é levado para uma empresa — anteriormente era uma cooperativa que, segundo Rodrigo Santana, por falta de apoio, fechou — que cuida do reaproveitamento do lixo reciclável. De acordo com o coordenador, no ano passado 70% do lixo reciclável foi reaproveitado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.