Rússia anuncia cessar-fogo, mas cidade cancela retirada de civis

Prefeito de Mariupol, ao leste da Ucrânia, alega que cidade continua a ser bombardeada e alegou “questões de segurança”

Forças russas cercam a cidade portuária ucraniana de Mariupol | Foto: Evgeniy Maloletka/AP Photo

Após a Rússia anunciar cessar-fogo parcial por cinco horas, a prefeitura de Mariupol, no leste da Ucrânia, adiou a retirada de civis por “questões de segurança”, já que, segundo autoridades locais, a Rússia continua a bombardear a cidade e arredores.

Em comunicado, o prefeito reafirmou que a Rússia não está respeitando o cessar-fogo. “Pedimos a todos os moradores de Mariupol que se dispersem e sigam para os locais de abrigo. Mais informações sobre a evacuação serão divulgadas em breve”.

Em anúncio na manhã deste sábado, 5, o Ministério da Defesa da Rússia confirmou a abertura de corredores humanitários nas cidades de Mariupol e Volnovakha a partir das 10 horas locais (5 horas de Brasília). Os bombardeios seriam interrompidos para que civis pudessem deixar as áreas de confronto.

Hoje, 5 de março, a partir das 10h, horário de Moscou, o lado russo declara um regime de cessar-fogo e abre corredores humanitários para a saída de civis de Mariupol e Volnovakha. Corredores humanitários e rotas de saída foram acordados com o lado ucraniano.
Comunicado do Ministério da Defesa da Rússia

Na cidade, a operação para retirada de civis estava prevista para 11 horas locais, no entanto às 10h55 o cessar-fogo estava confirmado apenas na região de Donetsk. Ainda há combates ao longo do trajeto definido, na região de Zaporozhye, que seria o destino dos civis.

O prefeito de Mariupol, Vadym Boichenko, havia pedido a abertura de um corredor humanitário após mais um dia de “ataques implacáveis” das tropas russas. A cidade está sem energia e água e há relatos de que a Rússia está destruindo infraestrutura civil e bairros residenciais.

Após o anúncio de cessar-fogo da Rússia, ele afirmou aos moradores que “não há escolha a não ser sair”.

Caros moradores de Mariupol, a partir de hoje começa a evacuação da população civil na cidade. Não é uma decisão fácil, mas, como sempre disse, Mariupol não são ruas e casas. Mariupol são seus habitantes, somos você e eu. Nossa principal tarefa sempre foi e continua sendo proteger as pessoas. Nas condições em que nossa cidade está, constantemente sob fogo implacável dos ocupantes, não há outra solução senão permitir que os moradores, isto é, você e eu, deixem Mariupol com segurança.
Comunicado do prefeito de Mariupol, Vadim Boychenko

* Com informações do portal UOL.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.