Morre o último cangaceiro do grupo de Lampião

José Alves de Matos, conhecido como “25”, tinha 97 anos e sofreu complicações respiratórias neste domingo (15/6)

O último componente do bando de Virgulino Ferreira da Silva, o “Lampião”, foi velado na manhã desta segunda-feira (16/6) em uma das capelas do Cemitério Parque das Flores, em Maceió. José Alves de Matos, de 97 anos, morreu neste domingo depois de ter complicações respiratórias em casa, no bairro do Salvador Lyra.

José Alves era conhecido entre seus companheiros como “25”. Quando passou mal, ele estava na companhia de seus netos e foi socorrido imediatamente até um hospital particular da cidade. No entanto, ele não resistiu e morreu.

O neto de José Alves, Clayton Matos, disse, em entrevista ao TNH1, que foi criado como filho por “25” e que sua morte deixou toda a família abalada. “Meu avô fez parte da história do país e foi um grande pai para todos nós”, disse Clayton.

CANGAÇO

Um companheiro de volante de José Alves, conhecido como “Candeeiro”, faleceu no ano passado. Clayton contou que os dois eram muito próximos “Meu avô vivia de memórias e merece ser homenageado por participar da história do Cangaço.”

“25” integrou o grupo liderado por Lampião que atuou no Nordeste brasileiro entre 1922 e 1938. O bando era conhecido por invadir cidades do interior, praticar saques e enfrentar autoridades locais, ate que seus integrantes foram capturados e a maior parte deles degolada.

Os cangaceiros até hoje estão envoltos em polêmicas. Enquanto alguns os defendem como heróis que confrontavam as desigualdades e injustiças agindo como uma espécie de “Robin Hood”, outros os consideram um criminoso cruel.

“25” deixa seis filhos e 16 netos.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.