Governador deve convocar Enel para resolver “calamidade energética”

De acordo com governador, solução mais eficiente para a situação é transferência de ativos da Enel para outra instituição que realize distribuição de energia elétrica com mais qualidade

Foto: Reprodução.

Na noite de quarta-feira, 22, o governador Ronaldo Caiado esteve no Ministério de Minas e Energia, em Brasília, em busca de soluções para a situação da energia em Goiás. Caiado foi acompanhado pelos presidentes Lissauer Vieira (Assembelia Legislativa), desembargador Walter Carlos Lemes (Tribunal de Justiça) e Joaquim Alves de Castro Neto (Tribunal de Contas dos Municípios), pelo procurador-geral de Justiça, Aylton Vechi, e pelo defensor público-geral do Estado, Domilson Rabelo.

O secretário de Desenvolvimento e Inovação, Adriano da Rocha Lima, definiu a situação elétrica do Estado como “uma calamidade energética”. “O Ministério se comprometeu a chamar novamente a Enel para propor a eles uma forma de conciliação pra ver se, a partir daí, a gente consegue uma solução amigável” completou.

De acordo com Lima,  a ministra em exercício, Marisete Pereira, irá conversar com o ministro Bento Albuquerque para tentar algum recurso.

Sem credibilidade

O governador Ronaldo Caiado afirmou que a Enel possui mais nenhuma credibilidade junto à população goiana. O Estado já assinou dois acordos com a empresa, que não cumpriu as medidas acertadas. Para Caiado, a solução mais eficiente para a situação é a transferência de ativos da Enel para outra instituição que realize a distribuição de energia elétrica com mais qualidade.

No entanto, para isso as partes envolvidas têm de aceitar o acordo, ou seja, a Enel deve concordar com a transação de ativos.

O que diz a Enel

Em contato com o Jornal Opção, a Enel Goiás diz que reafirma seu compromisso com os clientes do estado e ressalta que não há interesse e vender a concessão da distribuidora. Veja a nota na íntegra:

A companhia encerrou o ano de 2019 cumprindo todas as metas previstas no plano de ações e investimentos acordado em agosto com o Ministério de Minas e Energia (MME), a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e o Governo Estadual para aumentar a oferta de energia e melhorar a qualidade do serviço no Estado. A empresa realiza reuniões periódicas com Ministério de Minas e Energia, o órgão regulador e o Estado de Goiás para acompanhamento do andamento das ações estabelecidas no plano. 

 

Apenas entre agosto e dezembro de 2019, a Enel acrescentou 102 MVA de potência instalada ao sistema elétrico goiano, totalizando 102% do previsto para o período, e concluiu 709 novas conexões rurais, alcançando 103% do acordado.  Em dezembro, a companhia entregou duas novas subestações, uma em Mineiros e outra em Anápolis, e uma grande ampliação na subestação Trindade, beneficiando, juntas, mais de 254 mil clientes. Hoje (23), a Enel inaugurou ampliação e modernização da Subestação Caldas Novas, que beneficiará cerca de 47 mil clientes. Até o fim de 2020, mais seis subestações serão concluídas e outras 120 serão ampliadas e modernizadas.

 

A Enel reitera que foi a única empresa a oferecer proposta para aquisição da Celg-D no leilão de privatização realizado pelo Governo Federal, demonstrando um claro sinal de confiança na capacidade de recuperação do sistema elétrico do estado, mesmo após anos de subinvestimentos no período estatal. A empresa continuará dedicando todos os seus esforços para melhorar a qualidade do serviço prestado e, apenas este ano, vai investir mais de R$ 1 bilhão em sua área de concessão, montante cerca de 5 vezes superior aos níveis históricos investidos antes da privatização.

 

A companhia acrescenta que os investimentos realizados em Goiás já resultaram em uma melhora significativa dos indicadores de qualidade medidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica, que alcançaram os melhores níveis da história da distribuidora e ficaram dentro das metas previstas no contrato de concessão para 2019. De novembro de 2018 a novembro de 2019, a duração média das interrupções no fornecimento de energia por cliente (DEC) reduziu em cerca de 5 horas, uma melhora de mais de 18%. Já o número médio de interrupções por cliente (FEC) registrou uma redução de 26,2% no mesmo período.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.