Revitalizado, Parque Botafogo não oferece acessibilidade

Relatório técnico realizado pelo CAU-GO mostra diversos desníveis e uma tipografia complicada no local

Divulgação/CAU-GO

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Goiás (CAU-GO) irá apresentar nesta semana relatório técnico de acessibilidade realizado no Parque Botafogo, localizado no setor Vila Nova, em Goiânia. De acordo com a entidade, o estudo apontou que o local não oferece acesso pleno a todos os cidadãos da capital.

Dentre as irregularidades constatadas, o CAU constatou que não há rebaixo na calçada para a via de acesso à unidade; o passeio possui diversos obstáculos, como orelhão e poste, que impedem a circulação de cadeirantes; a área de convivência, com mesas e bancos sombreados, somente tem acesso por escada; e a quadra poliesportiva apresenta uma vala que impossibilita seu acesso por portadores de necessidades especiais. A rampa do teleférico que leva até o Parque Mutirama também não é acessível.

Em entrevista ao Jornal Opção, a gerente técnica do conselho, Giovana Jacomini, explicou que o relatório foi produzido após solicitação do Ministério Público Goiás, após denúncia sobre as condições estruturais do local. “Apesar de ter sido revitalizado há pouco tempo, a acessibilidade no local não foi inteiramente contemplada. Há vários desníveis e uma tipografia complicada”, acrescenta.

Além do Parque Botafogo, a gerente também tratará da Praça Cívica e da Secretaria Cidadã, em palestra durante o Seminário Goiano de Acessibilidade, que o CAU realiza nesta terça e quarta-feira, 5 e 6 de dezembro, no auditório do Tribunal de Contas do Estado (TCE-GO), no Setor Jaó. “São os espaços mais simbólicos que analisamos, se considerarmos suas funções e sua importância para a cidade e o cotidiano das pessoas”, afirma a arquiteta.

Seminário

Na programação, também haverá palestra da conselheira do CAU-SP Silvana Cambiaghi, que a convite do conselho goiano virá falar sobre Desenho Universal. O evento ainda contará com palestras de profissionais do Direito, com a advogada Tatiana Takeda, membro da Comissão dos Direitos da Pessoa com Deficiência da OAB-GO, e a procuradora Maísa de Castro, coordenadora e idealizadora da campanha “Ministério Público de Contas pela Acessibilidade Total”. O evento conta com a participação da Prefeitura de Goiânia, uma das organizadoras do evento.

O seminário é uma realização do CAU-GO, em parceria com o Tribunal de Contas do Estado (TCE-GO), a Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO), o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-GO) e o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-GO). O objetivo do evento é conscientizar e orientar arquitetos e urbanistas, engenheiros, profissionais do Direito e o público em geral, sobre a importância da acessibilidade dos espaços.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.