Queda no limite prudencial em Anápolis possibilitou finalização de obras e outros

Prefeito Roberto Naves classifica resultados, que originaram diferença no gasto de pessoal de R$ 43 milhões, como “eficiência de gestão”

Divulgação

A prefeitura de Anápolis teve uma queda no limite prudencial de 67% para 51,04%. O prefeito Roberto Naves (PTB) explicita que, com a redução, a diferença no gasto de pessoal foi de R$ 43 milhões. “Na verdade não foi economia em si, foi eficiência de gestão”, pontua.

Ele explica que, em 2018, foram arrecadados 13% a mais de IPTU e 11% a mais de ISS se comparado com 2017. “Em contrapartida, continuamos a valorizar o servidor público concedendo titulação, data-base, e progressões como nenhuma outra cidade de Goiás”, disse.

Segundo Roberto, também foi possível pagar passivos e finalizar diversas obras. “Como três postos de saúde, escolas, viadutos e galerias pluviais”, exemplifica e finaliza: “Isso nos anos mais difíceis da gestão.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.