“PTB não fará política como alguns partidos da base”, diz Roberto Naves

Prefeito de Anápolis garante que líderes petebistas não irão colocar “corta no pescoço do governador”, nem pressionar por cargos para formar aliança em 2018

Prefeito Roberto Naves em entrevista ao Jornal Opção | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O prefeito de Anápolis, Roberto Naves, afirmou ao Jornal Opção que seu partido, o PTB, decidiu que dará início a uma nova política em Goiás no que diz respeito a negociações para aliança em 2018. “Discutiremos projetos, ideias e propostas, não apenas cargos. É algo muito diferente do que a maioria, inclusive da própria base, está acostumada”, disse.

Segundo ele, o PTB continua apoiando o governo de Marconi Perillo (PSDB) e não se opõe à uma eventual candidatura do vice, José Eliton (PSDB), mas acredita que é preciso aprofundar o diálogo. “Não vamos colocar a corda no pescoço do governador, de forma nenhuma. Queremos trabalhar em conjunto”, completou.

Para tanto, a sigla, que é comandada pelo deputado federal Jovair Arantes, pretende endurecer as cobranças para com o Palácio das Emeraldas. “A parceria precisa ser de mão dupla, buscamos retorno do apoio do PTB ao governo. Ressalto que não se trata de cargos ou secretarias, mas, sim, de benefícios para as prefeituras, obras e ações”, arrematou.

As decisões foram tomadas após encontro entre lideranças petebistas em Goiânia, na última sexta-feira (10/3).

Sem ministério

Além da questão local, ficou acertado que, ouvindo o apelo de correligionários, Jovair Arantes só assumirá um ministério de Michel Temer (PMDB), caso seja de “extrema relevância”, como o do Esporte. “Ele tem muito mais valor para nós prefeitos e para o partido em si na Câmara, articulando, desimpedido, garantindo recursos, do que atado no governo”, explicou Naves.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.