Próximo de Alckmin, José Eliton deve se reunir com Lula nos próximos dias

Novo socialista prega que os partidos do campo democrático caminhem juntos e acredita que as definições do PSB com o PT a nível nacional podem repercutir em Goiás

Com diálogos constantes com o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSB) e declaradamente apoiador da frente ampla e da ampliação das conversas com os partidos do campo democrático, o ex-governador José Eliton (PSB) deve se reunir com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nos próximos dias. O político se filiou ao PSB nesta quarta-feira, 30, a convite de Geraldo Alckmin e acredita que é possível fazer uma composição regional com os partidos que caminharão com Lula nas eleições para a presidência da República. A presidente do PT Goiano, Kátia Maria, disse que o partido estará aberto para conversas com partidos que estiverem no campo progressista.

São os casos do PSB, do PT, e dos partidos que devem fazer uma federação com o partido de Lula: PV e PCdoB, mas o ex-tucano não descarta que seja possível ampliar o leque com mais partidos que estão no campo democrático, inclusive, com a sua ex-agremiação, o PSDB, que ele estava na presidência do Diretório Regional da sigla e a deixou a convite de Alckmin e do deputado federal Elias Vaz (PSB), mas que também serve para que o ex-governador se posicione dentro deste campo democrático. 

“Tenho conversado com o PT, com a presidente [Kátia Maria], com os parlamentares, e dentro deste espírito, de uma candidatura presidencial a gente tem condições de trazer questões para o Estado, o Wolmir [Amado, pré-candidato ao governo pelo PT] tem condições de trazer e construir essa agenda. Já estabelecemos o conceito, agora, de maneira harmônica [após o período de filiações], já poderemos individualizar as conversas”, comentou o socialista.   

“Sempre defendi a tese da frente ampla, foi assim quando votei em Alckimin nas eleições de 2018 e também aconteceu quando apoiei a pré-candidatura do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, nas previas internas do PSDB”, comentou o político. Questionado se ainda apoia o tucano que teve o seu nome ventilado para a presidência recentemente, o político descartou a hipótese e reiterou que caminha com Geraldo Alckmin pela mensagem que o socialista representa, que é de “pacificação”.  

Ele ainda acrescenta que sempre defendeu o discurso da conciliação e eu estava com um discurso diferente do João Dória. A decisão de Eduardo Leite ainda encontra diversas dificuldades, me convenceu nas prévias tucanas, mas Geraldo mostra uma mensagem de pacificação. “E o PSDB precisa se demonstrar no campo democrático, porque a fundação do PSDB nasceu como grandes nomes na defesa da democracia”, acrescenta. 

Procurada para comentar a filiação de José Eliton e as conversas do ex-governador com as lideranças do PT, a presidente do Diretório Regional do PT, Kátia Maria, afirmou que o partido está aberto a dialogar com todas as lideranças progressistas para tirar o Brasil e o Estado desta situação, mas que o nome da sigla é do ex-reitor da PUC Goiás Wolmir Amado.  

“O PT apresentou o nome do Professor Wolmir Amado ao Governo e vai continuar dialogando para ampliar o palanque do Lula em Goiás. Até o dia 02 muitas coisas podem acontecer e a partir disso começará uma nova fase, com uma definição melhor das peças que estarão no jogo para as eleições 2022”, comenta a petista. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.